PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Posse de Bola #185: Grêmio e Bahia caem, Corinthians com Sylvinho em 22, Ceni fica? Fla e o técnico

10/12/2021 14h50

O Brasileirão encerrou ontem com a definição dos últimos classificados para a Libertadores e os últimos rebaixados, com dois campeões brasileiros se juntando a lista daqueles que disputarão a Série B em 2022, uma edição com seis campeões nacionais, já que o Bahia, o Grêmio e o Sport, que já estava rebaixado, se juntam a Cruzeiro, Guarani e Vasco.

No podcast Posse de Bola #185, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam o fim de temporada do São Paulo, que fez a sua pior campanha nos pontos corridos, o Corinthians, o Fortaleza e o Fluminense classificados para a Libertadores, o Flamengo na busca por um técnico e a queda de Bahia e Grêmio.

Mauro Cezar destaca que Bahia e Grêmio, os dois últimos clubes rebaixados para a Série B, são elogiados pela gestão financeira, mas tiveram uma condução muito ruim no futebol, o que os levou à queda, com uma sucessão de erros cometidos na temporada.

"Renato foi destruído pelo Del Valle, aí ele deixa um elenco que ele montou, a estátua, aí chega o Tiago Nunes, um desastre, do Tiago Nunes vão para o Felipão, que até teve um aproveitamento melhor do que os outros, mas não foi o bastante obviamente. Sai o Felipão, tentam uma cartada desesperada com o Mancini", diz Mauro sobre as trocas no comando técnico gremista.

"Foi tudo errado e a declaração do dirigente às vésperas da última rodada de que o Corinthians, a torcida torceria pelo Grêmio, aquilo ali foi um negócio que além de folclórico evidência uma falta de noção da realidade, parece até um deboche com o próprio Grêmio", completa.

Arnaldo comenta o caso do Bahia, que na temporada passada já não foi bem, também com trocas de treinadores em diferentes perfis e agora repetiu os erros cometidos, caindo para a Série B, enquanto o Fortaleza, que passou dificuldades na edição anterior, fecha o melhor Brasileirão de sua história com o quarto lugar.

"Pouca gente se lembra, mas o Bahia terminou o último brasileiro na 14ª colocação, lutou contra o rebaixamento também em 2020 e não aprendeu nada dentro de campo para 2021. Esse ano foi de tudo, técnico argentino com seis partidas, Guto Ferreira, Dado Cavalcanti, o Bahia foi um desastre em campo", diz Arnaldo.

"Eu vi o mea-culpa do Bellintani depois da partida, falando que a culpa é dele e que ele tem condição de colocar o Bahia de volta na primeira divisão. Pela estrutura que tem, pela condição financeira que atingiu e pela torcida, o Bahia não poderia ter se dado ao luxo de cair outra vez", completa.

Juca Kfouri comenta a participação do Corinthians no rebaixamento do Grêmio, da mesma forma como havia ocorrido em lados contrários em 2007, já que no domingo o clube alvinegro empatou com o Tricolor gaúcho na Neo Química Arena e ontem perdeu para o Juventude.

"O fato é que o Juventude ficou, o Grêmio caiu e de alguma maneira o Corinthians, como dizem os mais fanáticos, está paga a queda de 2007. Eu lamento e muito a queda do Bahia, não apenas por ser um time do Nordeste, como pelo fato de ter a torcida que tem e ficar fora. O Grêmio está pagando por tudo o que Renato Gaúcho deixou de herança", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL