PUBLICIDADE
Topo

Futebol

CEO da Copa do Qatar desmente milhares de mortos nas obras: 'Foram três'

Obras próxima ao local em que está sendo contruído o estádio Lusail, em Doha, no Qatar, que será usado na Copa do Mundo de 2022 - Tiago Leme/UOL
Obras próxima ao local em que está sendo contruído o estádio Lusail, em Doha, no Qatar, que será usado na Copa do Mundo de 2022 Imagem: Tiago Leme/UOL

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

02/12/2021 15h49

As obras nos oito estádios que receberão jogos da Copa do Mundo do Qatar já estão em fase final e apenas um ainda não foi entregue: o Nacional Lusail, que receberá a decisão do torneio.

Durante todo o período de obras, reformas e construção dos estádios, a imprensa de todo o mundo noticiou as condições degradantes de trabalhadores, além do falecimento de muitos deles durante o período. O jogador inglês "The Guardian" chegou a publicar que mais de 6,5 mil imigrantes teriam perdido suas vidas em obras relacionadas ao Mundial. Hoje, Nasser Al-Khater, CEO da Copa do Qatar fez questão de desmentir a informação.

"No Qatar, faleceram três trabalhadores ligados ao Mundial. Três. São dados públicos que nunca escondemos. Os dados que foram anunciados por vários veículos de imprensa foram divulgados para criar um ambiente negativo e para servir interesses pessoais. São absolutamente falsos e descontextualizados. É um jornalismo irresponsável. Parece que todos os que morrem no Qatar estão relacionados com o Mundial", disse Nasser Al-Khater.

Ainda com base nas informações do "The Guardian", os imigrantes que faleceram no Qatar seriam procedentes de Índia, Paquistão, Nepal, Bangladesh e Sri Lanka. O número de pessoas desses países que faleceram no Qatar teria aumentado de maneira considerável desde que a Copa do Mundo no país foi confirmada, em 2010. Na mesma informação, o jornal inglês relaciona que 37 dessas pessoas eram trabalhadores diretamente ligados à obras nos estádios.

Esse número é amplamente contestado pela organização da Copa do Mundo do Qatar. A confirmação oficial é de três trabalhadores que faleceram em acidentes ocorridos durante as obras e diretamente ligados a construções que serão palco do Mundial, em 2022.

Outro assunto abordado por Nasser Al-Khater foi com relação à recepção de pessoas de outros países no Qatar. Por ser uma nação bastante fechada, há a preocupação com a aceitação de pessoas de outras religiões, raças, orientação sexual e até mesmo de gênero. De acordo com Al-Khater, isso não será um problema.

"No Qatar todos são sempre bem-vindos. Não importa qual seja o gênero, a religião, a raça ou a orientação sexual. As portas estão abertas", garantiu o CEO.

A Copa do Mundo do Qatar terá início no dia 21 de novembro de 2022 e com previsão de término no dia 18 de dezembro do mesmo ano. O sorteio da fase de grupos do Mundial está previsto para o dia 1º de abril de 2022.

Futebol