PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Thiago Braz conquista o bronze e mantém recorde olímpico no salto com vara

03/08/2021 15h07

Tóquio, 3 ago (EFE).- Campeão no salto com vara no Rio de Janeiro, em 2016, o brasileiro Thiago Braz conquistou nesta terça-feira a medalha de bronze, nos Jogos de Tóquio, e manteve o recorde olímpico da modalidade em uma edição à qual chegou sem favoritismo.

O ouro ficou com o fenômeno Armand Duplantis, de 21 anos, que competiu como grande favorito após saltar 6m14 em 2020, o recorde mundial em pista ao ar livre. O sueco, que tinha 6m10 como melhor marca neste ano, passou de primeira pelo sarrafo em suas cinco tentativas até garantir o ouro, dispensando as marcas de 5m70 e 5m87.

Como único a passar pela marca de 6m02, Duplantis tentou superar a de 6m19, o que significaria um novo recorde mundial, mas não conseguiu. Dessa forma, o sueco ficou um centímetro abaixo do recorde olímpico de Thiago Braz, que saltou 6m03 para levar o ouro nos Jogos do Rio de Janeiro.

Rival de Duplantis na disputa pelo primeiro lugar, o americano Christopher Nilsen obteve a melhor marca da carreira ao saltar 5m97 na primeira tentativa, falhou nas três chances de superar 6m02 e ficou com a prata.

A medalha de bronze representa o melhor desempenho neste ciclo olímpico de Thiago Braz, cujo melhor resultado desde 2016 foi o quinto lugar no Mundial de Doha, no Catar, em 2019.

Na final em Tóquio, Thiago saltou 5m55 sem problemas e falhou na primeira tentativa em 5m70, passando na segunda. O mesmo aconteceu na marca de 5m80, derrubando o sarrafo no salto inicial e avançando na sequência.

Ao passar de primeira por 5m87, o brasileiro superou a sua melhor marca em 2021, que era de 5m82. Depois, derrubou o sarrafo nas três tentativas de saltar 5m92 e saiu da disputa pelo ouro com o terceiro lugar do pódio.

O francês Renaud Lavillenie, ouro em Londres e prata no Rio de Janeiro, sentiu uma lesão no tornozelo direito durante o aquecimento. Sem tentar a primeira altura, saltou 5m70 e decidiu esperar pela quarta marca, mas sequer conseguiu sair do chão. Passou a vez de novo, mas, assim como Thiago, parou em 5m92, errando os dois saltos restantes e terminando na oitava posição.

Com o terceiro lugar de Thiago no salto com vara, o Brasil passa a ter 14 medalhas nos Jogos Olímpicos de Tóquio: três ouros, três pratas e oito bronzes. Além disso, foi o segundo pódio brasileirono atletismo nesta edição do evento - também hoje, Alison dos Santos ganhou o bronze nos 400m com barreiras. EFE

vnm/id

Esporte