Topo

Esporte


Dirigente revela que federação paraguaia fará queixa formal contra arbitragem

20/06/2019 12h42

Belo Horizonte, 20 jun (EFE).- Javier Díaz de Vivar, vice-presidente da Associação Paraguaia de Futebol (APF), revelou nesta quinta-feira à Agência Efe que será feita queixa formal junto à Conmebol, com erros de arbitragem no empate da seleção com a Argentina em 1 a 1, ontem, pelo grupo B da Copa América.

"Vamos reunir as jogadas que acreditamos não terem sido bem marcadas e enviá-las para a Conmebol", garantiu o dirigente.

De Vivar explicou que o objetivo é que a entidade analise os lances polêmicos, como a falta cometida pelo goleiro argentino Franco Armani no atacante Derlis González, no fim do primeiro tempo, que o árbitro brasileiro Wilton Sampaio viu como passível de cartão amarelo, enquanto os paraguaios pediam a expulsão.

O dirigente ainda mencionou o lance do pênalti do zagueiro Nicolás Otamendi, também cometido no jogador do Santos, que o dono do apito não apresentou qualquer cartão.

"Foram cinco ou seis jogadas que acreditamos deveriam ter tido outro critério", explicou De Vivar.

O vice-presidente da APF ainda criticou o uso do sistema de auxílio aos árbitros por vídeo (VAR), que lamentou não trazer a justiça que se esperava ao futebol.

"Esperamos que seja um elemento para resolver os lances, dar certeza, que saibam utilizar. Se não utilizarem bem essa ferramenta, como qualquer outra, vira algo negativo, embora o VAR seja, em si, positivo", concluiu. EFE

Mais Esporte