PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ex-presidente do Boca, Macri fala como torcedor: "Estamos todos abalados"

10/12/2018 17h49

Buenos Aires, 10 dez (EFE).- O presidente da Argentina, Mauricio Macri, admitiu nesta segunda-feira ser mais um torcedor chateado com a derrota do Boca Juniors, clube do qual foi mandatário por 12 anos, para o River Plate na final da Taça Libertadores, disputada ontem no estádio Santiago Bernabéu, em Madri.

Macri recebeu hoje, durante a comemoração dos 35 anos da redemocratização argentina, um grupo de crianças no jardim da Quinta de Olivos, a residência presidencial em Buenos Aires. Quando um deles afirmou que sonha ser atacante como Darío Benedetto, autor do único gol do Boca na decisão, o presidente falou sobre a vitória do River por 3 a 1.

"Foi um gol bárbaro (o de Benedetto), mas não nos foi suficiente. Estamos todos abalados", admitiu o ex-dirigente dos 'xeneizes', que esteve à frente do clube de dezembro de 1995 a dezembro de 2007.

Macri já havia se pronunciado sobre o resultado da partida de volta da final ontem através do Twitter. O chefe de governo parabenizou os campeões, mas ressaltou que o futebol "sempre dá revanche". Além disso, enalteceu o comportamento dos argentinos que estiveram em Madri para o jogo, em contraposição ao dos barras bravas que, com seus atos de violência, levaram o superclássico para fora do país.

Boca e River empataram em 2 a 2 no dia 11 de dezembro, em La Bombonera, na ida da final. A volta deveria ter sido realizada no dia 24, mas foi remarcada porque o ônibus que levava a delegação 'xeneize' foi atacado no caminho para o estádio Monumental de Nuñez.

Esporte