PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Operação contra falsificação de ingressos do Barcelona detém sete pessoas

David Ramos/Getty Images
Imagem: David Ramos/Getty Images

Da EFE, em Barcelona

26/10/2018 15h40

A Guarda Civil da Espanha deteve nesta sexta-feira (26) sete pessoas e fez buscas nos escritórios de 12 empresas em uma operação contra um suposto esquema que obteve lucros milionários com a falsificação de ingressos para jogos do Barcelona no Camp Nou, utilizando carnês cedidos por sócios em troca de dinheiro.

Segundo informaram à Agência Efe fontes ligadas ao caso, a operação, denominada "Duarte", foi ordenada pela Justiça por causa de uma denúncia apresentada pelo Ministério Público depois que foram detectados 2.822 ingressos falsificados para o duelo do Barcelona contra o Real Madrid no estádio Camp Nou em 6 de maio.

Os últimos dados divulgados indicam que a Guarda Civil realizou 12 inspeções, deteve sete pessoas e ainda investiga outra suspeita de ter participado do esquema.

A investigação, que permanece sob sigilo, revelou um esquema envolvendo nove empresas, algumas radicadas em Barcelona e também em L'Hospitalet de Llobregat (região metropolitana da capital catalã), que supostamente venderam ingressos falsificados para o clássico e arrecadaram cerca de 1,5 milhão de euros (mais de R$ 6,25 milhões).

A Justiça investiga essa rede de empresas pelos crimes de falsificação e participação em uma organização criminosa, segundo informou em comunicado o Tribunal Superior de Justiça da Catalunha (TSJC).

Como parte dessa operação, que foi iniciada a dois dias do clássico entre Barcelona e Real Madrid pelo Campeonato Espanhol, os agentes fizeram buscas nas dependências das empresas suspeitas de envolvimento no esquema e detiveram dez de seus responsáveis.

Os investigadores suspeitam que as empresas recrutavam sócios do Barcelona, que cediam os carnês, e utilizavam os códigos QR desses para produzir ingressos falsificados.

Essas entradas, que foram vendidas a preços elevados, foram detectadas quando os espectadores que as compraram tentaram entrar no estádio Camp Nou para o clássico em 6 de maio.

Com as diligências ordenadas hoje, a Justiça tenta averiguar que grau de relação mantinham entre si as empresas envolvidas no esquema para determinar se integravam uma organização criminosa dedicada a recrutar sócios do Barça para montar com seus carnês uma rede de venda ilícita de ingressos falsos.

Após detectar as entradas falsificadas no último clássico de 6 de maio, que causaram ao Barcelona um prejuízo de 1,5 milhão de euros, o clube catalão sancionou os sócios que proporcionaram seus carnês para o esquema, suspendendo alguns deles como associados e expulsando 33 que tinham confirmado participação no esquema.

No total, 525 dos sócios envolvidos no esquema apresentaram uma ação coletiva nos tribunais contra as sanções impostas pelo clube, mas a Justiça acabou decidindo pelo arquivamento da mesma.

Esporte