PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Luta entre Canelo e Golovkin teve mais de 1 milhão de compras no pay-per-view

25/09/2018 10h41

Redação Central, 25 set (EFE).- A revanche do último dia 15 entre o mexicano Saúl Canelo Álvares e o cazaque Gennady Golovkin, pelo título unificado dos médios da Associação Mundial (AMB) e do Conselho Mundial de Boxe (CMB), foi vista por aproximadamente 1,1 milhão de pessoas no sistema pay-per-view.

Embora os números oficiais não tenham sido divulgados, fontes ligadas aos dois pugilistas e à emissora "HBO PPV", detentora dos direitos de transmissão da luta, confirmaram que a venda foi superior a do primeiro combate entre Canelo e Golovkin, que terminou empatado.

Nesta segunda luta, o mexicano levou a melhor, se transformando no novo campeão mundial dos médios, encerrando com o reinado do cazaque.

Com o triunfo, Canelo, que tem um cartel de 50 vitórias (34 por nocaute), dois empates e uma derrota, levou uma bolsa de US$ 30 milhões (R$ 121,7 milhões), contra US$ 20 milhões (R$ 81,1 milhões) recebidos pelo cazaque.

De acordo com os números divulgados por fontes especializadas, as receitas de TV por assinatura foram superiores aos US$ 94 milhões (R$ 381,5 milhões). Cada telespectador precisou pagar US$ 84,95 (R$ 344,80) para ver a transmissão básica, e com acréscimo de R$ 10 (R$ 40,59) o sinal disponibilizado era em alta definição.

O custo do pagamento por evento foi menor do que na primeira luta, um polêmico empate realizado em setembro do ano passado, que gerou cerca de US$ 1,3 milhão (R$ 5,2 milhões) de vendas de pacotes de pay-per-view.

A empresa Golden Boy Promotions não quis informar nenhum número oficial da luta, e a rede de televisão "HBO" revelou não ter a autorização do promotor, o ex-lutador Oscar de la Hoya, para tornar os dados públicos.

"Não divulgaremos os números gerais da luta, mas entre uma excelente bilheteria, uma muito bem-sucedida compra pelo PPV e uma explosão nas vendas digitais também no PPV, 'Canelo versus Golovkin II' foi um evento mais bem-sucedido do que o anterior", apontou a Golden Boy, em comunicado enviado à emissora americana "ESPN".

A Golden Boy divulgou ainda que as vendas, via serviços de streaming, foram 25% mais altas que o combate do ano passado.

A receita do combate foi composta também pelas entradas para ver a luta em mais de 450 salas de cinema nos Estados Unidos, vendas para emissoras de televisão do exterior, acordos de patrocínio e material promocional do evento.

A luta gerou uma venda de US$ 23,4 milhões (R$ 95,2 milhões) em 16.732 ingressos vendidos na T-Mobile Arena, em Las Vegas, valor menor que os US$ 27 milhões (R$ 109,8 milhões) arrecadados no encontro anterior entre Canelo e Golovkin.

Esporte