PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Em avaliação, Uefa faz ressalvas quanto a direitos humanos na Turquia

21/09/2018 13h47

Redação Central, 21 set (EFE).- O relatório de avaliação das candidaturas a seriar a Eurocopa 2024 destaca a visão "criativa e profissional" de Alemanha e Turquia, mas fala sobre riscos em algumas infraestruturas turcas e considera motivo de preocupação a ausência um plano de ação em matéria de direitos humanos no projeto do país.

A Uefa publicou nesta sexta-feira o documento, que, segundo ela, serve como uma base transparente no processo de decisão realizado pelo Comitê Executivo da entidade, que escolherá na próxima quinta-feira a sede da competição.

As 40 páginas do relatório repassam primeiro o projeto da Alemanha, ao qual considera de "alta qualidade e cumpridor das expectativas gerais em aspectos políticos, sociais, de sustentabilidade e direitos humanos".

Nesse último aspecto, afirma que a Federação da Alemanha e as cidades-sede se comprometeram a aplicar um plano de ação em apoio aos direitos humanos e um sistema para remediar qualquer violação deste tipo relacionada com o torneio.

"Seis das dez cidades-sede são membros da Coalizão Europeia de Cidades contra o racismo, enquanto as demais estão cogitando se unir. A Alemanha é signatária de todos os instrumentos relevantes sobre direitos humanos em nível europeu e internacional", afirmou a organização.

A infraestrutura alemã também está bem avaliada no relatório, que fala do bom nível dos dez estádios, assim como das três áreas reservadas para torcedores em cada um deles e de sua fácil acessibilidade a pé ou em transporte público.

As garantias apresentadas para prevenir a revenda de ingressos também foram elogiadas no projeto da Alemanha, que, de acordo com o relatório, oferece a melhor opção para a estrutura do comitê organizador de um ponto de vista legal e organizativo.

A avaliação do projeto da Turquia inclui a palavra "risco" ao se referir à sua infraestrutura, aos prazos para a reconstrução e reformas previstas em três de seus dez estádios, assim como ao mencionar o plano de transporte tanto nacional quanto local e os prazos para seu desenvolvimento.

Além disso, a atuação em matéria de direitos humanos é questionada, embora tenha sido ressaltado que a federação turca se compromete a protegê-los na fase de preparação e desenvolvimento da Euro e "o apoio do governo e às reformas feitas desde 2000 para garantir seu respeito total".

"A candidatura da Federação Turca cumpre os critérios gerais políticos, de responsabilidade social e de sustentabilidade. A falta de um plano de ação na área de direitos humanos é motivo de preocupação", concluiu o relatório.

No trecho sobre assuntos organizativos e financeiros, a Uefa destacou que a estrutura do comitê organizador proposta pela Turquia é uma boa opção do ponto de vista legal e organizativo e que o país oferece as garantias adequadas para combater a ação de cambistas.

Esporte