PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Hamilton desembarca em Austin com chance de erguer troféu da F-1 pela 4ª vez

19/10/2017 12h37

Redação Central, 19 out (EFE).- O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, terá neste fim de semana a primeira chance de conquistar pela quarta vez o Campeonato Mundial de Fórmula 1, no Grande Prêmio dos Estados Unidos, que será disputado no circuito de Austin, no Texas.

O panorama é totalmente diferente ao que existia há menos de três meses, pois, no dia 30 de julho, o dono dos títulos das temporadas 2008, 2014 e 2015 estava 14 pontos atrás do alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, que havia acabado de vencer o GP da Hungria.

Desde então, cinco provas foram disputadas, e Hamilton foi quase perfeito. Foram quatro subidas ao lugar mais alto do pódio e um segundo lugar, sempre andando na frente do concorrente, que no mesmo período, chegou a ter dois abandonos e somou apenas 45 pontos.

Com isso, depois da vitória no Grande Prêmio do Japão, em Suzuka, há duas semanas, o britânico alcançou a marca de 306, contra 247 do vice-líder da temporada, que não conseguiu concluir a prova por causa de um problema na vela, de acordo com informação divulgada pela Ferrari.

Dessa forma, Hamilton pode conquistar o título neste domingo, se voltar a vencer em Austin, o que vez em quatro das provas disputadas no circuito, em 2012, 2014, 2015 e 2016 - além disso, o piloto levou a melhor no GP dos EUA de 2007, realizado em Indianápolis. Para erguer o troféu, bastará que Vettel não vá além do sexto posto.

Outra possibilidade que garantiria ao britânico o quarto troféu de campeão seria alcançar a segunda colocação na 17ª etapa do Campeonato Mundial, desde que o alemão termine do nono lugar para baixo.

Caso suba novamente ao topo do pódio, Hamilton ainda se tornará, isoladamente, o piloto com mais vitória em solo americano pela Fórmula 1. Atualmente, ele divide a honra com o alemão Michael Schumacher, que cruzou em primeiro em 2000, 2003, 2004, 2005 e 2006, sempre em Indianápolis.

Em Austin, a Mercedes também pode garantir matematicamente o quarto título consecutivo entre construtores. A escuderia, que tem 540 pontos, só deixará de ser campeã se a Ferrari, com 395, conseguir reduzir a diferença entre elas em 17 pontos.

Este cenário só aconteceu uma vez na temporada, quando Vettel venceu, o finlandês Kimi Raikkonen chegou em segundo, somando assim 47 pontos, contra 18 do time prateado, que teve o sétimo lugar de Hamilton, e o quarto do também finlandês Valtteri Bottas.

Para Felipe Massa, a prova deste fim de semana é mais uma oportunidade para se manter na frente do companheiro de Williams, o canadense Lance Stroll. Atualmente, os dois estão separados por dois pontos, com o brasileiro aparecendo na tabela com 34, na 11ª colocação.

No circuito de Austin, uma das novidades será a estreia do espanhol Carlos Sainz como piloto da Renault, substituindo o britânico Jolyon Palmer. Com isso, o russo Daniil Kvyat voltará a sentar no cockpit da Toro Rosso neste fim de semana.

Outra atração será a presença do neozelandês Brendon Hartley, que substituirá na mesma Toro Rosso o francês Pierre Gasly, que disputará a última etapa da Super Fórmula japonesa, em que luta pelo título.

Atualmente participando do Campeonato de Resistência, o piloto já testou para a própria escuderia, para a Red Bull e também para a Mercedes, nunca, no entanto, conseguindo alinhar no grid de largada de uma etapa da Fórmula 1.

O Grande Prêmio dos Estados Unidos será aberto nesta sexta-feira, às 13h (de Brasília), com o primeiro de três treinos livres. No dia seguinte, às 19h, será a vez da definição do grid de largada. No domingo, a corrida terá início às 17h.

Esporte