PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Putin considera "injusta" exclusão de atletas russos do Rio 2016 pela IAAF

17/06/2016 19h52

São Petersburgo (Rússia), 17 jun (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta sexta-feira que considera "injusta" a decisão da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) de manter a exclusão dos atletas do país dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Putin afirmou que as sanções por doping devem ser "personalizadas" e que "não se pode punir toda a família pelo crime de um de seus membros", em uma entrevista aos presidentes das maiores agências de notícias do mundo, entre elas a Efe.

O chefe do Kremlin ressaltou que a decisão da IAAF "não se encaixa em nenhum marco de conduta civilizada".

"Nós mesmos nos indignamos quando nos deparamos com problemas de doping e tentamos combatê-lo e punir os culpados", acrescentou.

Putin expressou sua esperança de que o Comitê Olímpico Internacional reaja à decisão da IAAF, a qual, argumentou, mistura justos e pecadores.

"Confio que acharemos uma solução, e isto não significa, de modo algum, que tenhamos a intenção de nos ofender e de dizer que não vamos lutar mais contra o doping. Pelo contrário, fortaleceremos a luta contra o doping", acrescentou.

A IAAF decidiu hoje em Viena, por unanimidade, manter a suspensão da federação russa de atletismo, o que representa a exclusão dos atletas russos dos Jogos Olímpicos deste ano, por considerar que a Rússia ainda não deu provas confiáveis de que cumpre os códigos de antidoping requeridos.

"Apesar de terem sido feitos bons progressos, a Rússia não atingiu as condições de readmissão", disse o presidente da IAAF, Sebastian Coe, em entrevista coletiva após a reunião extraordinária do Conselho Diretor da IAAF na qual foi decidido manter a suspensão. EFE

vh-jva/id

Esporte