Topo

Esporte


Presidente do Bellator elogia 'Cyborg', mas desconversa sobre luta pelo título na estreia

Ag. Fight

16/09/2019 17h16

Campeã pelo Strikeforce, Invicta FC e UFC, 'Cyborg' visa cinturão do Bellator - Rigel Salazar

A contratação de Cris 'Cyborg' pelo Bellator, divulgada no começo de setembro, promove o reencontro entre a lutadora e Scott Coker - presidente da organização -, que trabalharam juntos durante a passagem de ambos pelo extinto Strikeforce. Entusiasmado por voltar a promover as lutas da brasileira, o dirigente, ao site 'MMA Fighting', rasgou elogios à nova contratada.

Apesar de o Bellator contar com grandes nomes do esporte, muitos com passagens vitoriosas pelo UFC, o cartola afirmou que a brasileira, que ainda não fez sua estreia, já é um dos principais nomes da liga. Coker afirmou que considera 'Cyborg' não apenas a melhor lutadora de todos os tempos, mas também uma das principais protagonistas do MMA mundial, independente do gênero.

"Escute, quando você diz que ela (Cyborg) é a maior lutadora feminina de todos os tempos, isso é uma grande afirmação. É uma declaração bastante corajosa, mas todos sabem isso. Todos nós sabemos que ela é a melhor lutadora de todos os tempos do MMA feminino e uma das pioneiras. Estar no plantel com Gegard (Mousasi), Rory (MacDonald) e (Ryan) Bader, e todas as outras estrelas... Ela é, discutivelmente, um dos maiores rostos do MMA, ponto. Quanto mais de uma liga em particular", afirmou o presidente do Bellator, antes de explicar como foram as negociações que levaram ao acordo com a atleta da academia 'Chute Boxe'.

"Foi um grande dia (o dia da assinatura de contrato). Eu conversei (com os agentes dela) e disse: 'Olhe, isso não é algo que temos que apressar, mas nós queremos fazer negócio com a Cyborg, e eu acho que há muita familiaridade por causa da relação antiga, já que ela lutava para mim quando eu controlava o Strikeforce", contou o cartola.

A brasileira - campeã peso-pena pelo Strikeforce, Invicta FC e UFC - já declarou que seu objetivo é conquistar o quarto grande título em sua carreira pela nova organização. Para isso, ela teria que derrotar Julia Budd, atual campeã da categoria no Bellator e invicta desde que foi superada por Ronda Rousey, em novembro de 2011. Ainda que faça sentido casar o duelo entre as duas para a estreia de 'Cyborg' na entidade, Coker desconversou.

"É algo que, honestamente, nós não pensamos sobre. Nós não determinamos com quem ela (Cyborg) vai lutar, porque ainda não sentamos e conversamos com a Julia sobre os detalhes, sobre sua próxima luta. Eu tenho estado aqui (EUA) e ela (Cris) estava no Brasil. Ela está em L.A. (Los Angeles) agora, então vamos sentar e conversar", explicou Coker, antes de completar.

"Julia está em uma sequência de 11 vitórias. Ela é a atual campeã e eu estou muito orgulhoso do desenvolvimento dela nos últimos anos. Eventualmente, quando elas lutarem, vai ser épico. Vai ser uma guerra", concluiu.

Após perder o cinturão peso-pena do UFC para a compatriota Amanda Nunes, em dezembro de 2018, Cris 'Cyborg' fez a última luta de seu contrato com a organização em julho deste ano, quando venceu por decisão unânime a canadense Felicia Spencer. Em 24 combates na carreira, a paranaense acumula 21 vitórias, duas derrotas e um 'no contest' (combate sem resultado).

Mais Esporte