PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Empresário garante Jones "devastado" e promete encontrar suplemente contaminado

Ag. Fight

24/08/2017 12h19

Malki Kawa (ao centro) é o empresário de Jon Jones – Reprodução/Instagram

Empresário de Jon Jones, Malki Kawa parece ainda não acreditar em tudo o que o seu atleta está passando desde que foi notificado sobre o resultado positivo em um de seus testes antidoping realizados antes do duelo contra Daniel Cormier, no UFC 214. A notícia pegou de surpresa o mundo do MMA e deixou o ainda campeão dos meio-pesados (93 kg) extremamente abalado. Ao menos é o que garante o seu agente.

Em entrevista ao programa ‘MMA Hour’, Kawa expressou o sentimento de Bones até o momento. Como o atleta ainda não se pronunciou sobre a situação, o empresário tratou de levar a público o que sentiu de sua conversa com ele e também dar o seu parecer sobre o caso. Se dizendo “chocado” com tudo o que vem acontecendo, o agente garantiu que tudo vinha sendo feito da maneira mais cuidadosa possível para que nada desse errado.

“Ele está devastado. Ele está devastado e machucado. É incrível para onde você pode ir quando está no topo da montanha. Tudo o que você pode fazer para ganhar o respeito e a admiração de todos envolvidos, fãs, família, o pessoal do UFC, companheiros de equipe, outros lutadores e finalmente ele estava fazendo tudo certo – porque da outra vez ele foi negligente, certo? Mas desta vez estava tudo sendo perfeito, com checagem dupla em tudo para prevenir algo como isso que acontecesse com ele. É inacreditável, é surreal e nós estamos muito chocados. Nós todos estamos chocados e devastados”, lamentou Malki.

Pelo que indicou o empresário de Jon Jones durante a entrevista, a estratégia de defesa do atleta deve se basear na possibilidade de que algum de seus suplementos estivesse contaminado com a substância encontrada no exame. A lógica de Kawa pressupõe que Bones não iria deixar para se dopar justamente em um dos poucos períodos onde ele tinha certeza de que seria testado pela USADA (agência norte-americana antidopagem), ou seja, um dia antes da luta.

“Eu posso quase apostar a minha vida que isso é mais um suplemento contaminado. Você tem que dar uma olhada nos testes e como isso aconteceu. Jon passou por dois testes surpresas fora de competição. Um no dia 6 e outro no dia 7 de julho. Passando esses testes, eles testaram por todas as substâncias que nós falhamos desde o dia em que ele passou no teste até o dia anterior ao da luta. O problema que nós estamos tendo com isso é que ele passou todos os testes surpresas, mas no único que nós sabíamos, que tínhamos certeza que aconteceria, ele falhou? Não faz sentido. Estou assumindo que foi o suplemento que tomamos. Obviamente teremos que trabalhar com isso, ver o que foi tomado naquele mês, naquele período de três semanas e na semana antes da luta para ver de onde veio”, garantiu.

Jon Jones é reincidente em caso de doping e isso é um fator agravante para o seu cado. O americano ainda não teve seu cinturão cassado, mas se o doping do campeão for confirmado a tendência é que isso aconteça, juntamente com uma suspensão mais severa do que a última, podendo chegar a quatro anos de afastamento do octógono.

Esporte