Topo

Esporte


No Maracanã, Peru e Bolívia jogam pela sobrevivência na Copa América

18/06/2019 00h01

Rio de Janeiro, 18 Jun 2019 (AFP) - Peru e Bolívia, segundo e quarto colocados do Grupo A da Copa América-2019, precisam da vitória no duelo entre as duas seleções o Rio de Janeiro se quiserem seguir sonhando com as quartas de final.

As duas equipes vão se enfrentar a partir das 18h30 (horário de Brasília) no Maracanã, que na primeira partida, entre Paraguai e Catar no domingo, recebeu um público fraco.

Um empate ou uma derrota pode complicar a vida dos dois.

Os peruanos cederam o empate para a Venezuela e ficaram em segundo no grupo. Mas o grande problema é que a terceira partida é contra o Brasil, que na sexta-feira venceu a Bolívia no jogo de abertura do torneio (3-0) e precisa a todo custo vencer a Copa América em casa.

O empate "nos obriga a vencer" a Bolívia, declarou o artilheiro Paolo Guerrero, a estrela da equipe, após a partida de sábado contra a Venezuela, que deixou um gosto amargo na boca, especialmente devido aos gols anulados duas vezes com o auxílio do VAR.

A única dúvida do técnico Ricardo Gareca é o volante Christian Cueva, que foi substituído após uma pancada na cabeça no sábado.

- "O Peru não é o Brasil" -Enquanto isso os bolivianos já encararam o Brasil e, embora não tenham pontuado, seus dois próximos adversários, Peru e Venezuela, são teoricamente mais fracos na luta por uma vaga nas quartas de final.

O problema é o retrospecto recente da Bolívia: não vence uma partida há oito meses.

Em uma coletiva de imprensa antes do reconhecimento do gramado do Maracanã, o técnico Eduardo Villegas advertiu que o Peru não é o Brasil "asfixiante" de seu primeiro jogo e prometeu que seus jogadores vão entrar em campo "com outra atitude", mas evitou dar detalhes sobre como fará para que a bola chegue mais vezes ao ponta Marcelo Martins, do Shijiazhuang chinês.

"Uma coisa é jogar contra o Brasil e outra com o Peru, sem desmerecer de forma alguma o Peru. É uma partida determinante", declarou na coletiva de imprensa no Maracanã.

"Tivemos um Brasil com uma porcentagem de 90% de jogadores que atuam na Europa com uma mentalidade tática europeia, com uma decisão de fazer pressão permanentemente. Vimos isso contra o Catar, contra Honduras, e isso foi asfixiante para nós", acrescentou.

O jogo terá a arbitragem do equatoriano Roddy Zambrano, com seus compatriotas Christian Lescano e Byron Romero como auxiliares.

- Prováveis escalações:

Peru: Pedro Gallese - Luís Advincula, Luis Abram, Carlos Zambrano, Miguel Trauco - Yoshimar Yotún, Renato Tapia, Christofer Gonzales, Christian Cueva, Jefferson Farfán - Paolo Guerrero. Técnico: Ricardo Gareca.

Bolívia: Carlos Lampe - Diego Bejarano, Luis Haquin, Adrián Jusino, Marvin Bejarano - Erwin Saavedra, Fernando Saucedo, Raúl Castro, Leonel Justiniano, Alejandro Chumacero - Marcelo Martins. Técnico: Eduardo Villegas.

jm/ma/aam

Esporte