PUBLICIDADE
Topo

Vôlei

Douglas revela pedidos para se esconder: 'Se andar assim, vão te cortar'

Ponteiro da seleção brasileira revelou "dica" que recebeu pessoas ligadas ao vôlei assim que chegou à equipe principal - Reprodução/Twitter/@DouglasCorreiaS
Ponteiro da seleção brasileira revelou "dica" que recebeu pessoas ligadas ao vôlei assim que chegou à equipe principal Imagem: Reprodução/Twitter/@DouglasCorreiaS

Do UOL, em São Paulo

03/09/2021 11h26Atualizada em 03/09/2021 16h11

O jogador de vôlei Douglas Souza, que participou das últimas Olimpíadas com a seleção, revelou que já ouviu pedidos para que ele se "escondesse" assim que chegou à equipe principal do Brasil.

Em entrevista para a Quem, o ponteiro não citou nomes, mas disse que sua orientação sexual já incomodou companheiros e pessoas ligadas ao esporte.

"Quando era da categoria de base e estava chegando na seleção, escutava das pessoas: 'Olha, você tem que se esconder, se você chegar na seleção falando e andando desse jeito, vão te cortar, te mandar embora... não vão querer saber'. Estou aqui, provei para elas que estavam erradas e está tudo bem", iniciou Douglas.

"Nunca escondi ou anulei o fato de ser gay. Sempre dei muita pinta mesmo. Só que agora, as pessoas me conheceram por causa das Olimpíadas, e me deu essa visibilidade grande. Mas tudo que me filmaram fazendo no treino, eu já fazia há anos na seleção. Nada mudou", prosseguiu o ponteiro.

Douglas ainda revelou já ter notado "coleguinha revirando o olho" por conta de sua exposição nas redes sociais, mas ressaltou o respaldo dos treinadores diante de seu comportamento.

"A gente sabe que o sucesso incomoda. Isso é fato. Coleguinha revirando o olho sempre vai ter e é normal. Sou gay, se não tiver um coleguinha revirando o olho para mim, esse não é o mundo real. Infelizmente, essa é a nossa realidade. Enquanto a gente está ali fazendo o nosso e se divertindo, vai ter um cara que vai falar: 'Como assim?'".

"Mas da diretoria, do nosso CT, da comissão técnica, que é realmente o que importa, ainda não tive nada disso. Foi tudo muito tranquilo e todo mundo sempre me tratou muito bem. Não me falaram nada em relação a esse tipo de exposição. Foi bem legal. Até porque, tudo que fiz nas Olimpíadas, foi três dias antes de começar a competição. Quando começou, dei uma parada", finalizou o ponteiro ao veículo.

Vôlei