PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Bolsonaro diz que espera 11 a 0 no STF a favor da Copa América no Brasil

10.jun.2021 - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), durante live semanal - Reprodução/Facebook
10.jun.2021 - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), durante live semanal Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

10/06/2021 19h42

A sessão extraordinária do Supremo Tribunal Federal para discutir a realização da Copa América no Brasil em meio à pandemia de covid-19 foi assunto na live do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta quinta-feira. Durante a transmissão ao vivo, ele disse que espera que o STF decida em 11 a 0 a favor da realização do torneio no país. A audiência virtual está sendo realizada hoje.

"Alguém sabe quanto está o placar do Supremo? Meia a zero?", brincou. "Pô, pro Supremo meia dúzia a zero. Não vou falar nada aqui não, mas tudo bem. A gente esperava, realmente, estou esperando o 11 a 0. E vamos no domingo, abertura, Brasil e Venezuela. Aí sim, não tem conversa, falou em futebol, não tem conversa. Vamos massacrar a Venezuela no próximo domingo", acrescentou.

O Brasil virou sede da Copa América após atender ao pedido da Conmebol, que se viu sem saída para o torneio, já que Colômbia e Argentina não puderam receber mais a competição. No caso dos colombianos, o ponto crucial foi a onda de protestos nas ruas, que deixou em risco a segurança no país. Posteriormente, o governo argentino recuou ao ver uma escalada da pandemia em seu território.

Na outra ponta, a CBF só deu resposta positiva para a Conmebol porque obteve o aval do governo federal. O então presidente da entidade, Rogério Caboclo, acionou diretamente Jair Bolsonaro na manhã do dia 31 e ouviu do presidente que o caminho estava livre para organizar a competição em solo brasileiro.

A Conmebol já divulgou um protocolo para a realização da Copa América no Brasil, estabelecendo diretrizes para que o torneio aconteça com respeito às medidas de prevenção à covid-19. No documento, as recomendações vão dos itens mais simples — como a aferição da temperatura e controle da delegação para detectar os primeiros sinais de sintomas, além dos testes RT-PCR a cada 48h, — aos mais pitorescos, como a recomendação para que as delegações evitem banhos nos vestiários.

Na segunda-feira, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse hoje que os jogadores que vão disputar a Copa América não serão obrigados a tomar vacina contra a covid-19 para a disputa da competição.

Esporte