Topo

Brasileira sugere manipulação após ser punida em prova da marcha no Pan

Erica Sena reage à punição sofrida durante a marcha atlética de 20 km - Sergio Moraes/Reuters
Erica Sena reage à punição sofrida durante a marcha atlética de 20 km Imagem: Sergio Moraes/Reuters

Do UOL, em São Paulo

05/08/2019 12h50

Um dia depois de ficar com a medalha de bronze em prova na qual sofreu uma punição quando disputava a liderança na marcha atlética, a atleta brasileira Erica Sena ainda não se conforma com o resultado e usou suas redes sociais para sugerir que houve manipulação pelos árbitros nos Jogos Pan-Americanos de Lima.

"Eu não estou triste pelo meu resultado. Sim, eu queria o OURO e quem assistiu a prova viu o quanto eu lutei. O que me deixa triste é a arbitragem Sul-Americana injusta e principalmente quando ela está direcionada a ajudar a outro país. Ver árbitros de determinado país que trabalharam na prova dando os parabéns a uma atleta do mesmo país é muito desconcertante. Em provas onde o resultado pode ser manipulado e subjetivo sempre teremos INJUSTIÇAS", escreveu a pernambucana em seu perfil no Instagram.

Erica já havia declarado ao final da prova de 20 km em Lima que sua medalha era um bronze com "gostinho de injustiça" por ter sido punida tendo de parar 2 minutos durante a competição.

Na marcha atlética, o atleta deve ter sempre ao menos um dos dois pés no chão. "Flutuar" (tirar os dois pés ao mesmo tempo) é considerado correr. A pernambucana disse ter tomado advertência de todos os árbitros, sendo uma por flutuação e duas por movimento irregular de joelho, que é chamado de "bloqueio".

Devido às advertências, Erica desacelerou, viu a colombiana Sandra Arenas se distanciar para vencer a prova e ainda caiu para o quarto lugar quando teve de esperar os dois minutos de punição no pit lane. A brasileira ainda recuperou a terceira posição para terminar com o bronze, mas não alcançou a peruana Gabriela García León.