PUBLICIDADE
Topo

Pan 2019

Canadenses viram tietes depois levarem 41 gols do Brasil no handebol

Seleções do Brasil e do Canadá após partida de handebol no Pan  - Abelardo Mendes Jr/Rede do Esporte
Seleções do Brasil e do Canadá após partida de handebol no Pan Imagem: Abelardo Mendes Jr/Rede do Esporte

Demétrio Vecchioli

Do UOL, em Lima (Peru)

26/07/2019 01h34

A seleção brasileira feminina de handebol fez o dever de casa nesta quinta-feira (25) e conquistou sua segunda vitória nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Com quase nenhuma tradição na modalidade, o Canadá levou 41 a 12. Após o jogo, algumas cenas inusitadas foram proporcionadas pelas canadenses, que assumiram o papel de tietes.

Depois da tradicional fila de cumprimentos no meio da quadra, em que o brilho nos olhos das canadenses era visível, as brasileiras se posicionaram para tirar uma foto posada para os fotógrafos que cobriam a partida. As canadenses perceberam, saíram correndo e se juntaram às suas algozes.

O mais inusitado ainda estava por vir. Uma delas deixou de lado a compostura e aparentemente pediu para trocar de camisa com a brasileira Duda, uma das melhores do mundo. Não era possível, ela logo percebeu, e trocou o pedido por uma foto. Outras três colegas que olhavam envergonhadas decidiram então também abraçar a ídolo.

As outras jogadoras perceberam o que estavam perdendo e também quiseram foto. Aí, coube à Duda pegar o celular da técnica Nathalie Brochu e tirar selfie com as rivais. "É legal que elas tenham essa referência, esse carinho. Antes era eu que tirava foto com as europeias, agora é legal que elas queiram tirar comigo", comentou Duda, ao UOL Esporte.

Durante a partida, era nítido que as canadenses estavam felicíssimas de jogar contra o time campeão do mundo de 2013. Elas comemoram muito o gol que deixou o jogo empatado em 1 a 1 e festejaram como se fosse um gol no último minuto cada defesa bem sucedida.

Duda, claro, notou. "Durante o jogo eu percebo. Elas falam: 'Eduarda, eu te bloqueei naquela bola, que legal!'. É legal que elas tenham essa experiência. Nos últimos anos está acontecendo isso (a tietagem), acho que elas acompanham o meu trabalho na seleção e no Gyor", completou a brasileira, citando seu time na Hungria.

O Brasil não perde um jogo em Jogos Pan-Americanos desde 1995 e é o atual pentacampeão, vencendo todos os jogos sempre com facilidade. O nível técnico para os outros rivais é nítido. E o Canadá, que havia perdido de 48 a 12 no Pan de 2015 e só tem uma jogadora que atua fora da liga amadora do país, nem é o pior dos times do torneio. O Peru, que joga por ser dono da casa, levou 52 a 7 da Argentina no outro grupo.