PUBLICIDADE
Topo

Tênis


Tênis

Após vídeo de Feijão, promotor registra BO de infração e apologia ao crime

Beatriz Cesarini

Do UOL, em São Paulo

23/03/2020 11h39

O tenista João Souza, o Feijão, e a irmã Maria Clara Souza são investigados pelas autoridades de Mogi das Cruzes após ironizarem a pandemia causada pelo Coronavírus em vídeo publicado nas redes sociais. Um promotor registrou um boletim de ocorrência porque o brasileiro, banido do esporte, sugeriu que a parente teria levado a covid-19 à cidade do interior de São Paulo.

"Eles são investigados pela infração de medida sanitária preventiva e apologia ao crime, ocorrido em Mogi das Cruzes. A autoridade policial foi acionada no sábado (21), por um promotor de Justiça, informando sobre a veiculação de um vídeo, divulgado em uma rede social, em que uma mulher profere dizeres supostamente admitindo a responsabilidade pela propagação do coronavírus em Mogi das Cruzes", relatou a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo em comunicado enviado ao UOL Esporte.

O Boletim de Ocorrência foi registrado no 1º DP (Distrito Policial) de Mogi das Cruzes e um inquérito foi instaurado. Agora, diligências estão em andamento para qualificar os dois suspeitos e, consequentemente, realizar a intimação. João Souza e Maria Clara são investigados por cometerem delitos ao artigo 267 (causar epidemia, mediante a propagação de germes patogênico) e artigo 287 (fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime).

Em vídeo publicado no Instagram, Maria Clara declara em tom sarcástico, enquanto Feijão dá risada: "Eu levei o coronavírus para Mogi, desculpa, gente. Agora estou ótima, não estou de quarentena, e sigo plena. Vocês que lutem, Mogi que lute".

"Mogi decretou estado de calamidade pública. E por causa de quem? Desta pobre louca aqui", respondeu o tenista, ainda entre risadas. Após a repercussão negativa, Feijão apagou o vídeo.

Localizada a cerca de 60km da cidade de São Paulo, Mogi das Cruzes-SP já tem um caso oficial de covid-19. Segundo o prefeito da cidade, ainda há um bebê de três meses em estado grave, internado na UTI, entre os casos suspeitos. Na sexta-feira (20), Mogi das Cruzes decretou estado de calamidade pública por causa da pandemia.

João Souza já foi o tenista número 1 do Brasil e ocupou a 69ª posição do ranking da ATP. Há dois meses, ele foi banido do tênis e obrigado a pagar multa de 200 mil dólares (cerca de R$ 830 mil à época) por manipulação de resultados e outros delitos de corrupção. Aos 31 anos, ele está proibido de disputar qualquer partida oficial.

Pedido de desculpas

Horas após publicar o vídeo, João Souza voltou às redes sociais para apagá-lo e se desculpar "com quem achou que foi de mau gosto".

"Brincadeira de mau gosto para uns, falta de assunto para outros, motivos para julgar e carinho das pessoas que se preocupam. Não estamos e muito menos passamos coronavírus para ninguém; era só um papo entre irmãos que gravei e postei. Quem achou que foi de mau gosto, nos desculpem. Aos poucos que realmente se preocupam, sim, estamos bem, saudáveis e em casa", afirmou João Souza.

Tênis