PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Veteranos tiram sarro dos "posers" no skate. Sobrou para o prefeito do Rio

O prefeito do Rio Eduardo Paes a e a humorista Sabrina Sato foram ironizados na revista Modinha - Reprodução
O prefeito do Rio Eduardo Paes a e a humorista Sabrina Sato foram ironizados na revista Modinha Imagem: Reprodução

Paulo Anshowinhas

Do UOL, em São Paulo

13/02/2014 06h00

Além de estar presente na maioria dos centros urbanos, o skate virou objeto comum em comerciais de TV que tenham apelo jovem, de carros a alimentos, partidos políticos, chocolates, bebidas energéticas e até novelas. Essa superexposição do esporte tem criado modismos e uma legião de novos consumidores que de acordo com os skatistas mais experientes são chamados de “posers”.

Circula pelas redes sociais duas campanhas que chamam a atenção. Uma é a No Poser  (Não aos Posers) e a outra é a Modinha, A Sua Revista de Skate, que satiriza pessoas famosas que se arriscam em cima das rodinhas, como o prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes e a humorista Sabrina Sato.

Para o desenhista Wolmin Dahgrota, diretor de criação da agência Blackkat e criador da Modinha, tudo isso é um grande deboche a todas as pessoas. "Primeiro porque o skate foi feito para diversão e recreação e em segundo lugar serve como crítica contra a banalização da informação. Também aproveitamos para mostrar uma situação engraçada e nonsense”, diz. A assessoria de imprensa de Eduardo Paes não comentou a presença do prefeito na capa da Modinha.

Na opinião de Wolmin, poser é apenas uma fase, um momento, e a Modinha – revista feita apenas de uma capa, sem nenhum conteúdo - foi feita justamente “para as pessoas refletirem sobre a superficialidade das coisas”. 

O termo poser não é novo. Ele serve para descrever uma pessoa que finge ser algo que ela não é. Poser é alguém que só faz pose, em uma explicação mais simples. 

Normalmente os posers se caracterizam por não possuir argumentos mais profundos sobre a subcultura a que pertencem, mas na maioria das vezes finge ser um grande conhecedor do assunto.

O poser no skate não é um fenômeno novo. Na década de 80 uma banda de skate punk nacional e outra de surf trash music também davam outros apelidos a quem carregava um skate debaixo do braço. E também outros que apenas faziam um tipo que surfavam, mas no mar, emergia a realidade.

A banda Grinders, do ABC paulista tem o clássico Skate Gralha cujo refrão é: “Pega o skate desse gralha, sai da pista animal, se você quer tesourar, vai pra casa animal”.

Já Wander Wildner líder da banda Os Replicantes fez sucesso com a canção Surfista Calhorda. “Rack na caranga muito louca para dar banda/Cheque na carteira recheada de paranga/Prancha importada assombrando a meninada/Corpo de atleta e rosto de Baby Johnson/ É, mas quando entra n’água/ É na primeira braçada/É, ele não vale uma naba/Ele não surfa nada/ Tem duas surfshops que só abrem ao meio dia/Vive da herança milionária de uma tia/Vai para Nova Iorque estudar advocacia/Ah surfista calhorda/vai surfar n’outra borda”, diz a canção.

E não é apenas no Brasil que esse fenômeno se manifesta. Nos Estados Unidos, as frases são mais contundentes e acabaram virando arte. É o caso da mostra Die Poser Die  (Morra, Poser, Morra) do lendário skatista Tony Alva, que mostra o que é ser radical, ao contrário de ser poser.

O site WikiHow lista dez situações nas quais se diferencia um skatista verdadeiro de um poser:

1 . Um skatista de verdade não gosta de mostrar que sabe andar, e anda porque curte, não para aparecer.
2. Os posers normalmente compram skates de supermercados, que parecem de brinquedo e sempre estão brilhando, para parecer novos.
3. Você sempre vê um poser carregando o skate, mas nunca o vê em ação.
4. Eles não sabem a diferença entre goofy e regular (pé direito ou esquerdo na frente).
5. Eles não sabem fazer um ollie (manobra básica que os skatistas de verdade fazem, que consiste em dar um salto com o skate batendo a rabeta e saltando sobre obstáculos).
6 Posers nunca andam nas pistas, apenas assistem à distância.
7 Eles estão fazendo isso porque todo mundo também está.
8 Eles não sabem nenhum nome dos grandes skatistas da atualidade ou old school.
9 Apesar de falarem que andam, eles simplesmente não sabem andar, apenas se vestem como skatistas e levam o skate como “acessório”.
10. Eles usam as marcas de roupas mais conhecidas e até as mais caras, mas não peça a eles para andar de skate.

Esporte