PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Corinthians tirou a água do pescoço, mas futebol ainda é sofrível

18/11/2018 06h15

A vitória sobre o Vasco no último sábado na Arena tirou um caminhão das costas do Corinthians. Nas próprias contas do clube, mais um empate nos últimos três jogos do Campeonato Brasileiro deve ser suficiente para assegurar a permanência na Série A. Até se não pontuar mais a chance é grande. No entanto, o alento não pode de forma alguma maquiar o quão sofrível foi novamente o futebol praticado pela equipe.

O importante era a vitória, claro. Ainda mais com toda carga de pressão que havia, ao ponto de a torcida ter ido ao CT fazer duras cobranças. Mas como errou passes o Corinthians, como o ataque teve dificuldade, como as jogadas pelo meio não funcionaram, como a defesa ainda segue dando sustos.

Para se ter uma ideia, o Corinthians levou sufoco no segundo tempo de uma equipe que ainda não sabe o que é vencer como visitante no Campeonato Brasileiro. Exatamente, o Vasco não tem uma vitória fora de casa. Ainda assim, foi capaz de envolver os mandantes, principalmente no fim.

O gol saiu de um lance que misturou o talento de Fagner, um dos poucos que têm jogado bola, com dose de sorte. Mateus Vital mesmo admitiu que bola de cabeçada está longe de ser sua especialidade e nunca havia marcado dessa forma. Mas o importante eram os três pontos.

A vitória traz uma grande dose de alívio para Jair Ventura, cujo desempenho ainda é muito abaixo do esperado. São quatro vitórias, cinco empates e sete derrotas. A diretoria já disse que ele permanece para 2019. Garantindo-se na Série A, terá muito trabalho para fazer o time voltar a ser competitivo, o que hoje está muito distante.

Esporte