PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Árbitro relata xingamentos de vascaínos e cita até Maxi López em súmula

18/11/2018 10h28

Em súmula publicada no site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o árbitro Wilton Pereira Sampaio relatou xingamentos de dirgentes vascaínos após a derrota por 1 a 0 do time para o Corinthians, no último sábado, pela Série A do Campeonato Brasileiro.

De acordo com o árbitro, o presidente Alexandre Campello esteve entre as pessoas que o xingaram. Wilton Pereira Sampaio ainda citou a presença de Maxi López, que não jogou por estar lesionado, no túnel de acesso ao vestiário entre os vascaínos que reclamavam. O time carioca se queixa de dois lances que interpretou como pênaltis, mas que não foram assinalados pelo árbitro.

"(Aguardavam) a passagem da equipe de arbitragem o sr. Alexandre Campello, presidente da equipe do C.R. Vasco da Gama, já citado anteriormente, juntamente ao atleta Maximiliano Gastón López (não relacionado para a partida) e outros dirigentes da equipe que não foi possível identifica-los e me ofenderam com os seguintes dizeres: "ladrão safado, filho da p***, nos roubou novamente", descreveu.

Valentim - MARCO GALVãO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - MARCO GALVãO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Valentim reclama com árbitro
Imagem: MARCO GALVãO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Além destes episódios, o árbitro relatou uma briga após o apito final no setor da torcida do Vasco e disse que expulsou o técnico Alberto Valentim por ele o ter chamado de "louco" no intervalo

Com a súmula em mãos, a procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) deve se manifestar na segunda-feira, podendo levar o caso ao tribunal.

Confira abaixo a transcrição do relato do árbitro na súmula:

"Informo que após o término do 1º tempo expulsei do banco de reservas o sr. Alberto Valentim do Carmo Neto, técnico da equipe do C.R. Vasco da Gama, por ter sido informado pelo 4º árbitro sr. Edson Antonio, via rádio, que após a marcação de um tiro de canto a favor da equipe adversária (último lance do 1º tempo) o mesmo arremessou, em forma de protesto pelo não encerramento do 1º tempo, um copo com água no chão, gesticulando ostensivamente e proferindo as seguintes palavras: "ele está louco", sendo que o técnico já havia sido advertido verbalmente pelo 4º árbitro e árbitro assistente 1, sr. Fabrício Vilarinho da Silva, sobre sua conduta inadequada. depois de sua expulsão o técnico invadiu o campo de jogo e foi em direção a equipe de arbitragem dirigindo-se a mim da seguinte forma: "você está de sacanagem, está me perseguindo", sendo este contido pelo policiamento e retirado por membros da comissão técnica e atletas de sua equipe.

Informo que no intervalo da partida quando o sexteto de arbitragem se dirigia para seu vestiário, no túnel de acesso, estava aguardando a passagem o sr. Alexandre Campello, presidente da equipe do C.R. Vasco da Gama, que dirigiu-se a mim da seguinte forma: "não dá nenhuma falta pra gente, expulsa o treinador, ainda dá cartão amarelo pro goleiro, c***! vai ser caseiro do c***".

Após o término da partida houve um início de tumulto entre os atletas de ambas as equipes, fato este provocado por uma disputa de bola entre os atletas Fagner Conserva Lemos, nº 23, equipe S.C. Corinthians Paulista e Leandro Luis Desabato, nº 5, C.R. Vasco da Gama, por aparentemente não terem escutado o apito do término da partida, sendo rapidamente contido por atletas e membros das comissões técnicas dos clubes, não sendo possível ser verificado qualquer tipo de atitude que necessitasse de medidas disciplinares.

Depois do encerramento da partida e ao deslocar para o túnel de acesso aos vestiários a equipe de arbitragem teve que permanecer na entrada do túnel por aproximadamente 3 minutos enquanto o policiamento providenciava o isolamento e a segurança para que a equipe tivesse acesso a seu vestiário, já que se encontravam aguardando a passagem da equipe de arbitragem o sr. Alexandre Campello, presidente da equipe do C.R. Vasco da Gama, já citado anteriormente, juntamente com o atleta Maximiliano Gastón López (não relacionado para a partida) e outros dirigentes da equipe que não foi possível identifica-los e me ofenderam com os seguintes dizeres: "ladrão safado, filho da p***, nos roubou novamente".

Informo ainda que depois do término da partida no espaço destinado a torcida visitante (C.R. Vasco da Gama) observamos que alguns torcedores retiraram os assentos e os arremessaram em direção a torcida adversária e do policiamento que se encontrava fazendo o isolamento entre ambas. O referido tumulto foi rapidamente contido pelo policiamento"

Esporte