PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Tite indica que poder de decisão pode abrir espaço até para 'surpresas' na Seleção

17/11/2018 10h05

No novo ciclo de Tite, terá prioridade quem souber ser decisivo. Em entrevista coletiva após a vitória por 1 a 0 sobre o Uruguai, o treinador apontou como "surpresas agradáveis" de seu novo ciclo o meio-campista Allan e o centroavante Richarlison. Dupla que saiu do banco e contribuiu para dar maior variação a um Brasil que passava sufoco no Emirates Stadium (ING).

Sobre Allan, o treinador foi categórico: "foram 35 minutos jogados e bem". O meio-campista entrara no lugar de Renato Augusto, em um momento no qual o Brasil que, além de ser pressionado pelo Uruguai, não rendia nas investidas na ofensivas.

- Procurei dar o meu máximo, fazer o que o professor pede dentro de campo, que é se movimentar bem. Espero que eu possa tê-lo (Tite) agradado com essa atuação - afirmou Allan, ao final da partida em Londres.

Já Richarlison soube encontrar brechas em meio à defesa uruguaia, em um período no qual o Brasil penava para criar chances. Lançado no lugar de Douglas Costa, o centroavante surpreendeu novamente Tite:

- Na primeira ou na segunda chegada do Richarlison, ele teve chance.

O jogador do Everton comprovou o exemplo da Seleção que Tite quer para este ciclo:

- Desempenho, a concorrência, vai ser inevitável. Independente da idade, do momento nas equipes. Mas você olha pro banco e tem o Gabriel Jesus. Tem o Willian fora. O que é ajudar o time? Quando tem um jogador que não está produzindo bem, terá outro para jogar.

Esporte