PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras: O que foi a Arrancada Heroica, homenageada na camisa do Mundial

Palmeiras entra em campo com a bandeira do Brasil, em 20 de setembro de 1942, na Arrancada Heroica - Divulgação/SE Palmeiras
Palmeiras entra em campo com a bandeira do Brasil, em 20 de setembro de 1942, na Arrancada Heroica Imagem: Divulgação/SE Palmeiras

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

26/01/2022 14h00

Classificação e Jogos

Uma guerra do outro lado do Atlântico tornou um clube de futebol malquisto e o obrigou a desfazer laços históricos para seguir existindo. A Arrancada Heroica do Palmeiras em 1942 é homenageada no novo uniforme do time, que será usado no Mundial de Clubes no mês que vem. Mas afinal o que foi esta arrancada? O UOL Esporte explica.

O clube precisou mudar de nomes duas vezes, em 1942, devido ao clima hostil a imigrantes italianos no Brasil durante a Segunda Guerra Mundial. Em apenas três semanas, o País entrou oficialmente no conflito, o nome Palestra foi trocado e o agora Palmeiras se tornou campeão paulista daquele ano com 11 vitórias seguidas em meio ao contexto conturbado.

O Palestra Itália havia sido campeão paulista em 1940 e terceiro colocado no torneio de 1941 -este, o primeiro organizado pela Federação Paulista de Futebol (FPF). Eram tempos de Oberdan Cattani e Waldemar Fiume, já ídolos do clube que rivalizava com o Corinthians de Teleco e o São Paulo do recém-chegado Leônidas da Silva. Em 1942, porém, o Palestra enfrentaria desafios também fora de campo.

Navios afundados e imigrantes perseguidos

A Segunda Guerra Mundial já estava em curso na Europa há três anos, mas até então era um conflito distante e do qual o ditador Getúlio Vargas tentava tirar vantagens de uma posição oficialmente neutra. Este cenário mudou em janeiro de 1942, quando o Brasil rompeu relações diplomáticas com os países do Eixo (Alemanha, Itália e Japão) e passou a se aproximar cada vez mais dos Aliados, principalmente dos Estados Unidos.

Uma vez rompida a diplomacia com o Eixo, imigrantes destes países passaram a sofrer perseguições de topo tipo, incluindo apedrejamento a estabelecimentos comerciais e linchamentos. No estado de São Paulo, uma portaria proibiu que estes imigrantes e seus descendentes falassem seus idiomas ou discutissem a situação internacional. Nos meses seguintes, vinte navios brasileiros foram afundados pelo Eixo, o que levou a contagem de vítimas a quase 750 pessoas. Pressionado pela opinião pública, Vargas abandonou a neutralidade e assinou a entrada na guerra em 31 de agosto. Brasil afora,

O Palestra vira Palmeiras

Palmeiras campeão paulista em 1942, o ano da Arrancada Heroica  - Divulgação/SE Palmeiras - Divulgação/SE Palmeiras
Palmeiras campeão em 1942. Em pé: Oberdan, Echevarrieta, Begliomini, Junqueira, Viladoniga, Waldemar Fiume, Zezé Procópio, Og Moreira, Del Nero, Lima, Claudio, Clodô; Agachados: Claudio Cardoso e Del Debbio
Imagem: Divulgação/SE Palmeiras

Foi neste estado de coisas que o Palestra Itália mudou de nome naquele ano. Não uma vez, mas duas. A primeira ainda em março, quando abandonou o 'Italia' e virou Palestra de São Paulo, mas a alteração não foi suficiente para acalmar os nacionalistas mais inflamados.

No 7 de setembro, uma semana após anunciar a entrada na guerra, Vargas acirrou ainda mais os ânimos em um discurso em um estádio de futebol, inclusive -o São Januário. Jurou ser "implacável no combate aos invasores e aos seus agentes infiltrados", a quem prometeu "com rigor, as leis da guerra". Foi o suficiente para o então Palestra de São Paulo perceber que precisava de uma atitude drástica.

Em reunião em 14 de setembro, a diretoria alviverde resolveu aposentar o 'Palestra' e virar Palmeiras. Segundo o clube, foi uma referência à quantidade abundante de palmeiras nas dependências da sede e também uma homenagem à extinta Associação Atlética das Palmeiras, além da manutenção da letra P no escudo.

O primeiro jogo após a mudança foi justamente o jogo do título paulista daquele ano. O Palmeiras fez 3 a 1 no São Paulo de Leônidas da Silva e cia., que abandonaram o jogo na metade do segundo tempo, após um pênalti ser marcado para os alviverdes. Foi a 11ª vitória seguida da equipe, uma Arrancada Heroica. "O Palestra morreu líder, o Palmeiras nasceu campeão", dizia a frase mais repetida da época.

O Palmeiras não existiria sem a imigração italiana ao Brasil e não seria Palmeiras sem a Segunda Guerra Mundial. Para desgosto dos que insistem em dizer que esporte e política não se misturam, o clube mais vitorioso do País hoje dá exemplos práticos de como o contexto histórico impacta diretamente no futebol que amamos.