PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Brasileiro que consertou navios enfrenta Real Madrid pela Champions

Alex Nicodim/DeFodi Images via Getty Images
Imagem: Alex Nicodim/DeFodi Images via Getty Images

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

28/09/2021 04h00

Um brasileiro, que trabalhou com pintura e manutenção de navios, vai cruzar o caminho do Real Madrid hoje (28). Cristiano, lateral do Sheriff Tiraspol, da Moldávia, é um dos personagens do jogo válido pela segunda rodada do grupo D da Liga dos Campeões. A trajetória do ex-jogador de CRB e Volta Redonda, com ares de contos de fada, se junta à inédita participação de um time moldávio que fica em região separatista.

Real Madrid e Sheriff Tiraspol se enfrentam às 16h (horário de Brasília), na Espanha. Cristiano chega ao jogo com as duas assistências que renderam vitória ao clube da Transnístria diante do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, na estreia da fase de grupos.

Cristiano da Silva Leite, 28 anos, é um daqueles brasileiros que jogam fora do país e longe dos holofotes. Mas a carreira dele vai além de uma trajetória no lado B do futebol do leste europeu. Natural de Niterói, ele fez testes em Corinthians, Operário-PR, Grêmio Prudente e Vasco. Em todas, não foi aprovado e tomou uma decisão drástica.

"Em 2011, eu parei de jogar futebol e fui trabalhar. Trabalhei em um estaleiro no Rio, em duas empresas com carteira assinada para ajudar a minha mãe, na época desempregada. Eu trabalhei com pintura, limpeza de tanque e limpeza de submarino com óleo", contou Cristiano em entrevista ao Non Sense Football, canal no YouTube.

Segunda chance

A vida em um estaleiro, iniciada com ajuda do cunhado, durou dois anos. Aos 20, ele foi indicado por um amigo e conseguiu contrato com o Vitória das Tabocas, para disputa da segunda divisão do Campeonato Pernambucano.

Cristiano encarou como a "segunda e última chance" no futebol. Deu certo. O lateral entrou no mercado da bola e rodou com quatro clubes, entre 2014 e 2016, até chegar ao Volta Redonda. No Rio de Janeiro, foi tão bem que acabou assinando contrato definitivo em 2017. E no mesmo ano, recebeu a proposta de cruzar o Oceano Atlântico pela primeira vez.

"Eu nunca tinha ouvido falar na Moldávia, mas me adaptei rápido. E quando cheguei, no primeiro ano, já tive oportunidade de jogar a Liga Europa", lembrou.

O Sheriff Tiraspol ganhou 19 dos 21 campeonatos nacionais mais recentes. A potência nacional, no entanto, sempre esbarrou nas fases preliminares da Liga dos Campeões e jogou partidas da fase de grupos da Liga Europa em quatro temporadas. Até chegar a atual temporada. O clube de Cristiano eliminou o Dinamo Zagreb e depois caiu em uma chave com Inter de Milão, Real Madrid e Shakhtar Donetsk.

A equipe pertence à companhia Sheriff, que tem desde refinaria de petróleo à rede de supermercados, emissora de TV, empreiteira e recentemente ergueu estádio estimado em 200 milhões de dólares na cidade de Tiraspol.

O nível técnico baixo e o investimento pesado do grupo privado no clube ajudam a explicar o domínio no futebol da região. Melhor para Cristiano.

O endereço atual do lateral, aliás, rende bastante assunto. A Transnístria pertence ao território da Moldávia, mas desde a década de 1990 se declara independente e conta com apoio dos russos para sustentar a independência.

Política e estaleiros à parte, o Sheriff Tiraspol visita o Real Madrid. E Cristiano estará lá.

Futebol