PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Crespo rejeita "demora" e explica substituições no empate do São Paulo

Eder Traskini

Do UOL, em Santos (SP)

22/09/2021 23h50

O técnico Hernán Crespo não concordou quando questionado sobre o porquê de uma suposta demora em mexer no time do São Paulo durante o empate por 0 a 0 com o América-MG, na noite de hoje (22), no Morumbi. O comandante voltou a lembrar as condições físicas dos atletas que vieram do banco.

O comandante argentino avaliou que não demorou para mexer no time e enfatizou que Calleri ainda não está pronto para jogar desde o início. Crespo colocou em campo Liziero e Marquinhos aos 14 minutos do segundo tempo e depois promoveu as entradas de Welington e Calleri aos 37.

"Não estou de acordo com você na premissa de que demorei. Infelizmente, vocês não podem vir aos treinos, então não podem ver a condição física do Calleri. Último jogo que atuou foi em abril, cinco meses sem jogar. Jogou 15 minutos com a gente e acho que está bom para não arriscar que se lesione. Não está em condições de ser titular, precisa de tempo para que possa voltar a fazer o que esperamos dele, que é muito. Já a palavra "demorar" não concordo. Com Marquinhos que voltou após 50 dias, claramente não posso esperar que seja o mesmo de 50 dias atrás, mas tem que voltar a jogar. Estamos sempre atrás em condições físicas complicadas e temos que ter paciência para que esses jogadores possam voltar ao top", disse em entrevista coletiva após a partida.

Para o treinador, a escalação com Nestor, Sara, Igor Gomes, Rigoni e Pablo parecia suficiente na parte ofensiva para vencer o Coelho. No entanto, mesmo diante da falta de inspiração do time, Crespo não optou por Benítez vindo do banco e foi questionado durante a entrevista sobre a escolha. O meia argentino foi bastante criticado pela torcida na recente eliminação da Copa do Brasil.

"Não se faz a escalação só com condições físicas, mas também com bola parada, defensiva e ofensiva. Pablo esteve em campo por soluções ofensivas e defensivas. A altura de Benítez ou Eder não ajudam nesse impacto. A ideia de jogar com Sara, Nestor, Igor Gomes, Rigoni e Pablo acreditávamos que fosse suficiente na parte ofensiva para ganhar o jogo. Evidentemente não aconteceu e, como sempre acontece nas coletivas quando a equipe não ganha, quem está no banco é o melhor jogador", afirmou Crespo.

O Tricolor paulista volta a campo neste sábado (25), às 21h, para receber o Atlético-MG, no Morumbi, pelo Brasileirão.

São Paulo