PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Lisca vê ataque improdutivo em derrota do Vasco: "não exigimos do Volpi"

Lisca não gostou da falha do Vasco em jogada aérea contra o São Paulo - Jorge Rodrigues/AGIF
Lisca não gostou da falha do Vasco em jogada aérea contra o São Paulo Imagem: Jorge Rodrigues/AGIF

Do UOL, em São Paulo

29/07/2021 00h33

Quatro dias depois de aplicar uma goleada na Série B do Campeonato Brasileiro, o Vasco sofreu para fazer seu ataque produzir. Na derrota para o São Paulo por 2 a 0, hoje (28), no Morumbi, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, o time carioca falhou na criação de jogadas ofensivas e não conseguiu impor dificuldades ao Tricolor.

O desempenho vascaíno contrasta com o que havia acontecido no sábado passado em São Januário. Na ocasião, o Cruzmaltino fez um placar de 4 a 1 sobre o Guarani na estreia do técnico Lisca e deixou seus torcedores animados para o duelo da Copa do Brasil. Mas, na prática, a equipe não conseguiu nem de perto repetir a atuação.

"Ficam as lições. Equilibramos o jogo no segundo tempo, tivemos possibilidade de empatar a partida, mas faltou contundência. Apesar de termos chegado, não exigimos muito do Volpi. Erramos na escolha, não acertamos o alvo, erramos no último passe, e isso foi predominante na partida", justificou Lisca após o confronto no Morumbi.

"Acho que o time foi eficiente porque tivemos boa posse de bola, bons chutes com Jabá, Marquinhos, Cano. Mas hoje a gente não conseguiu transformar esse volume, esse ímpeto ofensivo em gol. Tanto é que o Volpi não teve nenhuma defesa difícil. E isso foi fundamental para o nosso placar terminar zerado. A qualidade na hora da definição deixou a desejar, e isso foi predominante para o placar ter sido 2 a 0."

Uma das lições que o clássico possibilitou foi a deficiência do Vasco em jogadas defensivas de bola aérea. Hoje, quando a partida estava equilibrada, o São Paulo achou o segundo gol, marcado por Pablo, de cabeça, após cobrança de escanteio. Isso vem sendo uma falha recorrente do time cruzmaltino e foi, inclusive dessa forma, o único gol marcado pelo Guarani no sábado passado.

"A gente tem analisado isso, vocês (imprensa) têm colocado muito que são situações corriqueiras na temporada do Vasco. Tomamos gol do Guarani também no meio da área. Hoje foi uma bola mais rápida. A gente tinha mapeado, mas a nossa linha estava fechada, muito próxima do gol. Eles botaram uma bola mais aberta, com o Pablo, e talvez isso tenha nos surpreendido", lamentou. "A gente precisa minimizar esses gols porque a bola parada sempre foi muito importante e hoje ocasionou essa vantagem maior do São Paulo. No segundo tempo, não era merecido, a única chance foi nessa bola parada."

Lisca, contudo, já demonstrou que pretende corrigir quando ganhar tempo de treinamento no Vasco. Ele assumiu o comando há menos de uma semana e já teve de dirigir o time em duas partidas. "Isso se corrige trabalhando e estimulando. Quando tiver tempo, repetindo e dando ênfase a esse detalhe importante da partida. Já tomamos dois gols nos meus dois jogos, e isso é uma coisa que incomoda."

Com a derrota, o Vasco terá trabalho para seguir até as quartas de final da Copa do Brasil. No jogo de volta, marcado para a próxima quarta-feira (4), em São Januário, a equipe precisa ganhar por três gols de diferença. Se superar o São Paulo por dois gols, a disputa irá para os pênaltis. Antes disso, o Cruzmaltino jogará contra o Botafogo, no próximo sábado (31), no Engenhão, pela Série B do Brasileiro.

Futebol