PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Léo Ortiz 'deu o troco' no pai com notícia de convocação para Copa América

Siga o UOL Esporte no

Eder Traskini

Do UOL, em Goiânia

28/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Era véspera do dia da apresentação do time profissional do Internacional, em 2017, quando tocou o celular na casa dos Ortiz, em Porto Alegre. O pai de Léo, craque do futsal e que trabalhava na base do Colorado, vê o nome de um diretor na tela e atende. Assim que desliga, ele dá a notícia diretamente ao filho: o rebento havia sido chamado ao profissional. No último sábado, porém, o zagueiro hoje no Red Bull Bragantino deu o troco no pai com uma notícia ainda melhor: a convocação para a seleção brasileira.

Léo foi chamado pela primeira vez para defender o Brasil para a vaga de Felipe, cortado por lesão, e chega direto para as quartas de final da Copa América. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, ele relembrou o dia que subiu ao profissional e comemorou o fato de poder dar a nova notícia ao pai.

"Eu que tive o prazer de contar [ao pai]. Teve que ser por vídeo, porque ele estava em Porto Alegre ainda. Uma felicidade imensa, dessa vez eu que contei a notícia pra ele. Eles são a base de tudo, me dão forças desde a época de criança. Alguns momentos foram difíceis, mas serviram de aprendizado e amadurecimento para estar em um projeto como o Red Bull Bragantino e chegar em um nível mais alto que é a seleção brasileira", contou Léo.

Dois meses atrás, em entrevista especial à reportagem, o zagueiro falou sobre como sua vida tinha mudado desde a saída do Beira-Rio, pela porta dos fundos após ficar marcado pelo torcedor. Capitão e líder do Red Bull Bragantino, Ortiz já havia feito o suficiente para aparecer na pré-lista da seleção olímpica, mas foi pego de surpresa quando "pulou" direto para a principal.

"Eu sempre falo que é uma felicidade imensa só as pessoas acompanharem, monitorarem, é sinal de que estamos fazendo um grande trabalho. Quando saiu a notícia da pré-lista lista olímpica fiquei muito feliz, sabia que seria mais difícil pela questão de ser acima de 23, são menos jogadores que vão, mas muito feliz em estar nessa pré-lista. Lógico que tem uma surpresa porque você está chegando um nível gigante, que é a seleção, então tem a surpresa", afirmou.

Marquinhos é inspiração

No novo degrau que subiu na carreira, Léo Ortiz vai encontrar companheiros de posição que sempre admirou: Thiago Silva e Marquinhos. Enquanto Eder Militão já foi adversário do zagueiro do Bragantino nas categorias de base, Ortiz ainda não conhece pessoalmente a dupla que atua por Chelsea (ING) e Paris Saint-Germain (FRA), respectivamente.

"É um sonho chegar à seleção e pensar que vou conhecer e trabalhar no dia a dia com grandes jogadores e participando de uma Copa América. Eu sempre falei que acompanho muito e admiro muito o trabalho do Marquinhos e do Thiago Silva. O Militão eu cheguei a jogar contra na base, é um cara de um nível altíssimo também. Admiro muito o Marquinhos por eu ter já ter sido volante também, e ele faz essa função às vezes no PSG. É um cara que estou ansioso para conhecer a aprender diariamente com eles, que são fenômenos", disse Ortiz.

O defensor ainda não conhece pessoalmente o técnico Tite, mas recebeu na noite do sábado as congratulações do treinador da seleção pela convocação.

"Eu recebi uma mensagem do Tite me felicitando pela convocação, falando basicamente o que ele comentou na coletiva, que é fruto do meu trabalho, do que venho fazendo no clube, da maneira como o clube está crescendo. Falou para eu focar no jogo de segunda-feira pelo Red Bull Bragantino que ele sabe que é importante e que está me esperando lá em Teresópolis", revelou.

Antes de partir para a seleção, Ortiz e o Red Bull Bragantino enfrentam o Atlético-GO na noite de hoje (28), no estádio Antônio Accioly, às 20h, pela sétima rodada do Brasileirão.

Esporte