PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Vasco vai melhor fora de casa do que em São Januário na temporada 2021

Getulio cabeceia para o gol do Vasco e vence Vanderlei que só observa o Avaí sair na frente do placar - ALEXANDRE BRUM/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO
Getulio cabeceia para o gol do Vasco e vence Vanderlei que só observa o Avaí sair na frente do placar Imagem: ALEXANDRE BRUM/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Após a derrota em casa para o Avaí por 2 a 0, na noite de ontem (16), pela quarta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o Vasco chegou ao seu quarto jogo seguido sem vencer em São Januário, no Rio de Janeiro.

O meia Marquinhos Gabriel e Fábio Cortez, auxiliar-técnico que comandou a equipe no lugar de Marcelo Cabo, expulso na rodada anterior, comentaram sobre a má fase em casa.

A preocupação dos vascaínos vai além da fase recente: na temporada 2021, a atuação do Cruzmaltino em casa é pior que enquanto visitante nas três competições disputadas —Série B, Copa do Brasil e Campeonato Carioca.

Ao todo, foram dez partidas em São Januário, com quatro derrotas, três empates e três vitórias, resultando num aproveitamento de 40% dos pontos disputados. Já fora de sua casa, o Vasco disputou 13 jogos, vencendo seis, empatando cinco e perdendo dois, com aproveitamento de 58,9%.

"Precisamos focar no próximo. São duas derrotas dentro de casa na Série B e precisamos ganhar esse jogo", disse Cortez. Já Marquinhos destacou que a equipe tem conquistado seus pontos fora de casa, mas como mandante não consegue se impor.

Nesta edição da Segunda Divisão, são justamente os jogos como visitante —vitória por 2 a 1 contra o Brasil de Pelotas e empate por 1 a 1 diante da Ponte Preta— que colocam a equipe de Marcelo Cabo fora da zona de rebaixamento. Em São Januário, porém, duas derrotas por 2 a 0, contra o Operário e o Avaí.

Falta de foco no início dos jogos atrapalha o time

Na saída da partida diante dos catarinenses, nesta quarta, perguntado sobre a recente fase em casa, Marquinhos Gabriel avaliou que falta foco e concentração nessas partidas, sobretudo no primeiro tempo.

"Falta concentração no começo dos jogos, temos tomado gols bobos que têm nos tirado das partidas. Quando a gente entra no jogo, o adversário já está com 1 a 0. Acho que [a solução] é trabalhar mais nesse quesito da concentração, que está nos prejudicando", afirmou.

Fábio Cortez fez o mesmo destaque durante a coletiva, quando questionado sobre uma possível mudança de esquema tático. "Há uma desatenção, da mesma forma que está acontecendo nos outros jogos, está sendo corriqueiro, mas acredito muito no trabalho do Marcelo e do grupo", afirmou.

A avaliação dos dois vascaínos vai de encontro ao desempenho da equipe na Série B: em três dos quatro jogos realizados até o momento, contra o Operário, o Brasil de Pelotas e o Avaí, o Cruzmaltino sofreu todos os cinco gols no primeiro tempo. Somente contra o Brasil a equipe conseguiu reagir, ganhando de virada por 2 a 1.

A única vez que a defesa foi vazada em um segundo tempo ocorreu no empate por 1 a 1 diante da Ponte Preta.

O auxiliar Fábio Cortez reconheceu o momento ruim na Série B. "É uma situação que não é confortável pra ninguém, principalmente pra gente que está trabalhando. Precisamos ver onde estamos errando e trabalhar para melhorar, treinar e ter performance", afirmou.

Futebol