PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2021

Atlético-GO aproveita falhas do São Paulo e vence mais uma no Brasileirão

Do UOL, em São Paulo

05/06/2021 20h58

Classificação e Jogos

O São Paulo sofreu sua primeira derrota no Campeonato Brasileiro. O Tricolor perdeu por 2 a 0 para o Atlético-GO hoje (5), no estádio Castelo do Dragão, em Goiânia (GO), e inicia a competição de maneira decepcionante. O zagueiro Éder e o meia João Paulo deram a vitória aos rubro-negros.

O Tricolor entrou em campo com vários desfalques. Sem Daniel Alves, Benítez, Arboleda, Luan e Liziero, o time teve dificuldade para criar jogadas ofensivas e sofreu com a forte marcação do Atlético-GO. Para completar, cometeu duas falhas que foram determinantes para a construção do resultado. Essa foi a segunda derrota consecutiva do São Paulo, que na terça-feira (1º) havia perdido para o 4 de Julho, do Piauí, pela Copa do Brasil.

Com a derrota, o São Paulo fica nas últimas colocações do Brasileirão, com apenas um ponto - o time havia estreado com empate com o Fluminense no Morumbi. O Atlético-GO, por sua vez, foi a seis pontos e começa a competição no topo. Na primeira rodada, a vítima rubro-negra havia sido o Corinthians, na Neo Química Arena.

Na próxima rodada, o São Paulo voltará a encontrar dificuldade para buscar a recuperação. O time tricolor enfrenta o Atlético-MG, no domingo (13), no Mineirão. Já o Atlético-GO volta a campo no dia seguinte, na Arena Pantanal, contra o Cuiabá.

Antes disso, ambos os times jogarão pela Copa do Brasil. O São Paulo encara o 4 de Julho nesta terça-feira (8), no Morumbi, precisando ganhar por dois gols de diferença para avançar às oitavas de final sem a necessidade de pênaltis. Já o Atlético-GO pega o Corinthians, em casa, na quarta-feira (9), podendo até perder por um gol de diferença.

Outra vez de bola parada...

Cobrança de falta do lado esquerdo da intermediária. O cruzamento de Natanael foi bem feito e preciso para Éder. O beque nem precisou saltar para um cabeceio forte contra a meta de Tiago Volpi. As jogadas de bola parada já haviam sido um tormento para o Tricolor no meio de semana, quando o time perdeu por 3 a 2 para o 4 de Julho, do Piauí, pela Copa do Brasil. Foram mais de quatro minutos de espera para a análise do VAR, que checou a possibilidade de impedimento do atleta do Atlético-GO, antes da validação do gol.

Fim do tabu de Volpi

O gol do Atlético-GO acabou com um tabu ostentado por Tiago Volpi. O goleiro são-paulino não era vazado há três partidas. O último gol aconteceu no dia 18 de maio, marcado pelo Racing, no Morumbi, na Libertadores. Depois disso, ele manteve sua meta intacta nos dois jogos da final do Campeonato Paulista, contra o Palmeiras, e na estreia no Brasileirão, contra o Fluminense.

Ninguém queria entregar a bola

Até os 30 minutos, um jogo bastante acirrado e de pouca técnica. Ambos os times tentavam marcar pressão no campo adversário, o que dificultou o trabalho para criar jogadas ofensivas. Nesse embate, o Atlético-GO levou a melhor, com Janderson sendo sua principal válvula para escapadas. O Tricolor, por sua vez, tinha dificuldade para acionar seus meias e deixou a cargo de Reinaldo suas principais jogadas.

Melhor lance é com Luciano

Aos 42 minutos, o São Paulo teve sua melhor oportunidade para marcar. E foi nos pés de Luciano, que voltou ao time titular depois de um mês. Em uma troca de passes com Gabriel Sara na entrada da área, o atacante emendou um chute cruzado. Fernando Miguel se jogou no canto esquerdo e fez bela defesa, mandando a bola para escanteio.

Tricolor pressiona no fim

O São Paulo deixou para o fim do primeiro tempo seus melhores momentos. Finalmente a equipe tricolor acuou o adversário em seu campo, criou chances em sequência e obrigou Fernando Miguel a fazer mais duas defesas. A primeira aconteceu em um cabeceio na primeira trave após cobrança de escanteio. A segunda foi em um chute de longa distância de Rodrigo Nestor.

São Paulo muda... mas não muito

O Tricolor voltou do intervalo com uma alteração. O argentino Rigoni fez sua estreia ao entrar no lugar de Shaylon. Ele caiu pela esquerda do ataque, tentando aumentar o volume ofensivo ao lado de Luciano. Mas nos primeiros 15 minutos, o time encontrou muita dificuldade para furar a defesa adversária. A melhor chance saiu em um cabeceio de Luciano, após cruzamento de Igor Vinícius, mas a bola saiu à direita do gol.

Perigo é do Dragão

O Atlético-GO parecia confortável nos primeiros minutos da etapa final. Sem ser incomodado, se preparou para os contra-golpes e ainda criou a jogada mais perigosa. Aos 14 minutos, Natanael arriscou chute da intermediária e obrigou Volpi a saltar e mandar a bola para escanteio. Doze minutos depois, o Dragão teve sua melhor chance para ampliar o placar. Em cruzamento da esquerda, Zé Roberto deu carrinho e se esticou, mas pegou mal, e a bola sobrou para Volpi.

Falha imperdoável

O São Paulo fez mais uma alteração que poderia ser decisiva, com a entrada de Eder em lugar de Rojas. No entanto, uma falha imperdoável da defesa acabou com a chance de reação da equipe. Em uma saída de bola, Tiago Volpi tocou para Galeano na direita. O lateral tentou afastar o perigo, mas a bola foi travada e sobrou para João Paulo. O meia do Atlético-GO, então, viu o goleiro tricolor adiantado e tocou por cima dele para o gol vazio aos 33 minutos.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-GO 2 x 0 SÃO PAULO

Motivo: 2ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 5 de junho de 2021 (sábado)
Horário: 19h (horário de Brasília)
Local: estádio Castelo do Dragão, em Goiânia (GO)
Árbitro: Diego Pombo Lopez (BA)
Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Edevan de Oliveira Pereira (BA)
VAR: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)
Cartões amarelos: Natanael, Lucão, Janderson, Willian Maranhão (Atlético-GO); Igor Vinícius, Léo, Tiago Volpi, Rodrigo Nestor, Reinaldo (São Paulo)
Gols: Éder, os 23min do primeiro tempo, e João Paulo, aos 33min do segundo tempo (Atlético-GO)

Atlético-GO: Fernando Miguel; Dudu, Nathan Silva, Éder e Igor Cariús; Willian Maranhão, Marlon Freitas e João Paulo; Janderson, Zé Roberto (Lucão) e Natanael. Técnico: Eduardo Barroca

São Paulo: Tiago Volpi; Bruno Alves, Miranda e Léo; Igor Vinícius (Galeano), Rodrigo Nestor, Shaylon (Rigoni), Gabriel Sara e Reinaldo; Rojas (Eder) e Luciano. Técnico: Juan Branda