PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Guardiola diz que Superliga "não é esporte", mas também ataca a Uefa

Colaboração para o UOL

20/04/2021 10h34

Ao contrário de Zinedine Zidane, o técnico Pep Guardiola, do Manchester City, não fugiu de responder sobre a Superliga. Apesar de comandar um dos fundadores, o treinador deixou claro que não apoia a ideia.

"Não é esporte quando a relação entre o esforço e o sucesso, o esforço e a recompensa não existe. Então não é esporte. Não é esporte quando o sucesso já está garantido. Não é esporte se não tem importância se você perder", disse Guardiola.

"É por isso que, como eu já disse muitas vezes, eu quero a melhor competição, o mais difícil possível, especialmente a Premier League. E não é justo quando um time luta, luta, luta, chega no topo e não pode se classificar por que o sucesso já está garantido", disse.

"Isso é o que eu sinto. Não sei o que vai mudar e algumas pessoas dizem que talvez quatro ou cinco times podem subir e jogar essa competição, mas o que acontece com as outras 14 ou 15 que podem jogar temporadas ruins e sempre estarão lá? Então isso não é esporte, é outra coisa", completou.

O treinador também cobrou dos criadores do torneio uma explicação sobre os critérios para a seleção das equipes, citando o exemplo do Ajax, dono de quatro títulos da Champions League, que não faz parte dos planos iniciais da liga.

Apesar das críticas à proposta, Guardiola também aproveitou a entrevista para atacar a Uefa, dizendo que a entidade não pode tentar posar de vítima na história.

"No entanto, não seja cínico. Todos pensam por si. A Uefa pensa por si própria. No momento mais importante da temporada, quando lutamos por títulos, Lewandowski não jogou contra o PSG por ter se machucado em um compromisso internacional. A Uefa isso, pois é o seu próprio negócio. Todos pensam por si", disse.

Esporte