PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Por que Felipe Melo ficou no banco no Dérbi, mesmo sem condições de jogar?

Thiago Ferri

Do UOL, em São Paulo

19/01/2021 12h00

Classificação e Jogos

Felipe Melo fez dois treinos com o elenco do Palmeiras e ficou no banco, ontem (18), contra o Corinthians, mesmo ainda sem condições de atuar competitivamente. O técnico Abel Ferreira considerou que a presença do capitão no banco era importante por sua influência no clima do vestiário. Em campo, seu comportamento vibrante ficou evidente, à medida que o time construía sua goleada por 4 a 0 sobre o rival no Allianz Parque. O veterano era um dos mais animados na comemoração.

O capitão sofreu uma fratura no tornozelo esquerdo há pouco mais de dois meses, e o prazo inicialmente previsto de retorno era de três a quatro meses. Já recuperado do problema, ele está liberado para trabalhar sem limitações, mas está sem ritmo de jogo devido ao tempo parado. É por esse motivo que Abel ainda não o considera em condições de atuar nesta reta final de temporada.

"O Felipe tem tido uma recuperação muito rápida, mas ainda está longe de nos poder ajudar em campo. Esta é a verdade. Ele pode nos ajudar como tem ajudado, fora. E é para isso que eu conto com ele. Quem está na posição, o Danilo, o Zé [Rafael], o [Raphael] Veiga, o Patrick [de Paula], o próprio Emerson, estão todos bem. O Felipe vem de uma parada longa, para ter ritmo competitivo é muito difícil, mas pode ajudar de outra maneira, por isso eu o chamei", explicou.

"Eu não conto só com os que jogam. Era fácil trazer mais um garoto da base para ter aqui. Mas ele é um elemento fundamental do plantel, chegou a vez dele de nos ajudar desta maneira. Contamos com ele, o grupo e eu, e posso dizer que no intervalo do jogo contra o River Plate foi um verdadeiro guerreiro e deu o que precisávamos. Se não jogar nesta temporada, ele pode ajudar pelo espírito de guerreiro, esta alma e temos de nos contagiar, porque é um competidor nato e queremos alguém com esta experiência", acrescentou.

Felipe trabalhou para antecipar seu retorno pelo sonho de atuar na final da Copa Copa Libertadores, dia 30, contra o Santos, no Maracanã. Desde que se machucou, Danilo, de 19 anos, tornou-se o titular na função, enquanto Emerson Santos já foi improvisado na função e agradou.

A ideia do capitão ainda é aproveitar esta sequência até a decisão para se condicionar e ter a possibilidade de disputar ao menos alguns minutos no Maracanã. Na goleada de ontem, ele liderou as brincadeiras no vestiário, inclusive com uma dança, fazendo alusão aos quatro gols marcados no Corinthians.

Palmeiras