PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Questão do Enem sobre salário de Neymar e Marta é 'ridícula', diz Bolsonaro

Do UOL, em São Paulo

18/01/2021 13h11Atualizada em 18/01/2021 15h17

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou algumas questões aplicadas ontem no primeiro dia de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2020. Uma das insatisfações se deu em relação a uma pergunta que trouxe a desigualdade salarial entre Neymar e Marta, duas estrelas brasileiras do futebol.

Em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada ocorrida na manhã de hoje, o presidente considerou questões do tipo como "ridículas".

Ele ainda afirmou que o "futebol feminino ainda não é uma realidade no Brasil" e justificou a desigualdade como ações da "iniciativa privada".

"O banco de questões do Enem não é do meu governo ainda, é dos governos anteriores. Têm questões ali ridículas, ainda. Ridículas, tratando do assunto. Comparando mulher jogando futebol, mulher e homem, por que que a Marta ganha menos que o Neymar...", iniciou.

"Não tem que ter comparação, o futebol feminino ainda não é uma realidade no Brasil. O que o Neymar ganha por ano, todos os times de futebol juntos no Brasil não faturam por ano. Como que vai pagar para a Marta o mesmo salário? Isso chama-se iniciativa privada. Ela que faz o salário. Ela que mostra para onde o mercado deve ir. Então, [o exame] faz umas questões absurdas sempre pregando a igualdade, mas por baixo", completou Bolsonaro.

Hoje mais tarde, Marta publicou um texto enigmático em seu Instagram. Nos stories, a atleta de 34 anos mostrou uma imagem em que aparece treinando com a camisa da seleção brasileira.

Na legenda da imagem, ela escreveu a seguinte frase: "Uns serão lembrados como os melhores da história, já outros...".

Futebol