PUBLICIDADE
Topo

Gabigol brilha, Gerson faz dois, Fla bate Del Valle e é campeão da Recopa

Gabigol, atacante do Flamengo, celebra gol marcado contra o Independiente del Valle - Marcelo Cortes / Flamengo
Gabigol, atacante do Flamengo, celebra gol marcado contra o Independiente del Valle Imagem: Marcelo Cortes / Flamengo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

26/02/2020 23h25

Classificação e Jogos

A América do Sul é, de novo, do Flamengo! No duelo entre o campeão da Libertadores e o da o Sul-Americana do ano passado, o time rubro-negro bateu o Independiente del Valle, do Equador, por 3 a 0, no Maracanã, e se sagrou campeão da Recopa Sul-Americana.

Assim como em novembro, contra o River Plate, da Argentina, Gabigol foi o nome do título. O camisa 9 abriu o placar e participou ativamente do lance que gerou o segundo gol do Rubro-Negro - marcado por Gerson. O 'Coringa' ainda marcou mais um, já nos minutos finais.

Essa foi a terceira taça levantada pelo Flamengo em 2020. A equipe comandada por Jorge Jesus conquistou a Supercopa do Brasil, a Taça Guanabara (primeiro turno do Campeonato Carioca) e, agora, a Recopa Sul-Americana.

Gabigol decide e se destaca em jogo do título

Autor do gol que garantiu ao Flamengo o título inédito da Recopa Sul-Americana, Gabigol não foi apenas o herói rubro-negro da noite, mas também o melhor homem em campo.

Com movimentação constante e espírito de luta, o artilheiro perturbou a vida dos zagueiros na saída de bola e definiu praticamente todas as boas jogadas da equipe.

Com a expulsão de Arão, homem que ajudava na marcação alta, o atacante se desdobrou na hora de defender e ainda foi o desafogo da equipe na hora de segurar o sufoco do Del Valle.

Arão expulsa e quase compromete

O volante Willian Arão foi expulso ainda no começo do jogo e quase colocou tudo a perder. Em um lance no meio de campo, o jogador rubro-negro acertou um chute na altura do peito de Caicedo e, após revisão do VAR, acabou recebendo vermelho. Com um a menos, o técnico Jorge Jesus tirou o atacante Pedro e colocou o volante Thiago Maia, fazendo com que o time perdesse a intensidade na marcação que fazia até então e desse mais espaço ao Del Valle.

Flamengo - expulsão e mudança de postura

O time de Jorge Jesus entrou com algumas mudanças. Sem poder contar com o zagueiro Rodrigo Caio e o atacante Bruno Henrique, o time teve a dupla de zaga formada por Gustavo Henrique e Léo Pereira e a parceria entre Pedro e Gabigol no ataque.

A equipe da Gávea começou o jogo pressionando e com presença no campo de ataque, mas, logo após abrir o placar, mudou a postura por conta da expulsão de Arão. Depois de uma reta final de primeiro tempo mais recuada - Thiago Maia entrou no lugar de Pedro -, conseguiu se acertar na etapa inicial e dar menos espaços ao adversário.

Del Valle - não soube aproveitar vantagem numérica

A equipe equatoriana manteve o estilo de saída de bola na base dos toques e aposta na velocidade. Com um a mais, conseguiu ter mais presença no campo de ataque, mas cometeu falhas ao arrematar as jogadas.

Apesar de um começo de segundo tempo com tentativa de se aproximar da área de Diego Alves e até fazer com que o goleiro rubro-negro fosse obrigado a fazer boa defesa, logo perdeu o ímpeto e não demonstrou forças para uma reação.

Cronologia do jogo

Com o Del Valle adotando um estilo de jogo com mais toque de bola na saída, o Flamengo aproveitou para iniciar o jogo pressionando a marcação já desde o campo de ataque. Apesar de alguns espaços deixados na intermediária, não demorou a abrir o placar.

Em uma das oportunidades em que conseguiu encaixar e não deixar lacunas, o Del Valle se enrolou e deu um "presente" para Gabigol. Segovia tentou, de cabeça, recuar a bola para o goleiro, mas a cabeçada foi muito forte e Pinos teve de salvar, mas o camisa 9, sozinho, aproveitou o rebote e balançou a rede.

Artilheiro do novo Maraca

Com o gol que abriu o placar da final da Recopa Sul-Americana, Gabigol igualou a marca de Fred como artilheiro do novo Maracanã. Após reformar, o estádio foi reinaugurado em 2013. Ambos têm 30 gols.

Arão "atacante" até expulsão

Até ser expulso ainda no primeiro tempo, o volante Willian Arão exercia um papel de um atacante na hora da tentativa de retomar a bola. Com o Del Valle construindo o jogo desde o goleiro Pinos, o camisa 5 pressionava o time visitante dentro de sua área, aumentando o sufoco do adversário na hora de sair jogando. Com sua saída, o Fla diminuiu um pouco a intensidade na tentativa de incomodar os equatorianos desde seu campo de defesa.

Mudança na postura

Após a expulsão, o Del Valle conseguiu ter uma presença maior no campo de ataque e fez com que o goleiro Diego Alves tivesse de fazer boas defesas. O Flamengo, por sua vez, encontrava-se um pouco mais recuado e se viu obrigado e ter atenção redobrada no campo de defesa.

Torcida "entra em campo" e ajuda o Flamengo

A expulsão de Willian Arão tornou o jogo mais complicado para o Flamengo, que viu o Del Valle crescer e pressionar os donos da casa em seu campo de defesa.

Quando o placar ainda apontava 1 a 0, a "Nação" sentiu o momento delicado e decidiu jogar com a equipe. Inflamada na arquibancada, a torcida incendiou o time, que correspondeu com muita luta dentro de campo.

Susto e defesa

As equipes retornaram sem mudanças. O Flamengo se mostrava um pouco mais organizado no meio de campo, mas, ainda assim, o Del Valle conseguia espaços. Logo no início, inclusive, um susto para os rubro-negro: Faravelli saiu na cara de Diego Alves, que fez grande defesa.

Gabigol volta a aparecer e Gerson arremata

Depois de abrir o placar, Gabigol voltou a ser importante. O jogador recuou um pouco, buscou a jogada e conseguiu, em uma arrancada, chegar à linha de fundo. Ele cruzou e, após desvio da defesa, Gerson apareceu para ampliar a vantagem.

Marcelo Cortes / Flamengo
Imagem: Marcelo Cortes / Flamengo

Tudo igual... Em expulsões

Próximo ao fim do jogo, Cabeza deu um pisão em Léo Pereira e foi expulso. Assim como no caso do Arão, o cartão vermelho aconteceu após o árbitro ir ao VAR. O jogo ficou com 10 para cada lado.

'Vapo-vapo' para o título

Quase no apito final, o Flamengo ainda teve tempo de fazer mais um. Gabigol lançou Vitinho, que achou o camisa 8. O 'Coringa' bateu e fez o terceiro, sacramentando de vez a vitória.

Rafinha titular

O lateral-direito Rafinha ficou fora da final da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, por conta de dores na coxa esquerda. O jogador, porém, se recuperou a tempo e começou o duelo no Maracanã.

Casa cheia

Após um acordo entre as diretorias de Flamengo e Independiente del Valle, os ingressos para o setor destinado aos torcedores visitantes foram cedidos ao Flamengo. Desta forma, em noite de casa cheia, o Maracanã ficou todo rubro-negro.

Beijinho da sorte

Na entrada das equipes em campo, as taças da Libertadores, da Sul-americana e da Recopa estavam expostas dentro do gramado. Ao contrário de todos os jogadores, Gabigol, o último rubro-negro a pisar no gramado, deu um beijinho no troféu da Libertadores. Na decisão, o camisa 9 marcou os dois gols na virada do Flamengo sobre o River Plate.

FICHA TÉCNICA
Flamengo 3 x 0 Independiente del Valle


Data: 26 de fevereiro de 2020, quarta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Competição: Recopa Sul-Americana
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Fernando Rapallini (Argentina)
Assistentes: Diego Bonfa (Argentina) e Gabriel Chade (Argentina)
VAR: Mauro Vigliano (Argentina)
Público / Renda: 64.504 pagantes / R$ 5.396.997,50
Cartões amarelos: Gustavo Henrique e Gerson (Flamengo); Franco (Del Valle)
Cartão vermelho: Willian Arão, do Flamengo, aos 24 minutos do primeiro tempo; Cabeza, do Del Valle, aos 40 minutos do segundo tempo
Gols: Gabigol, do Flamengo, aos 20 minutos do primeiro tempo; Gerson, do Flamengo, aos 16 minutos do segundo tempo e aos 43 do segundo tempo

Flamengo: Diego Alves, Rafinha, Gustavo Henrique, Léo Pereira e Filipe Luis; Arão, Gerson e Arrascaeta (Vitinho), Everton Ribeiro (Michael), Pedro (Thiago Maia) e Gabigol
Técnico: Jorge Jesus

Independiente del Valle: Pinos, Preciado, Schunke, Segovia (Cabeza) e Beder Caicedo (Guerrero); Franco, Pellerano, Faravelli (Nieto) e Jhon Sánchez, Murillo e Gabriel Torres
Técnico: Miguel Ángel Ramírez

Flamengo