PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Não é só campo: o que motivou Botafogo-PB a apostar em Felipe e Léo Moura

Léo Moura conduz a bola durante jogo entre Botafogo-PB x Náutico, pela Copa do Nordeste - Josemar Gonçalves/ Botafogo-PB
Léo Moura conduz a bola durante jogo entre Botafogo-PB x Náutico, pela Copa do Nordeste Imagem: Josemar Gonçalves/ Botafogo-PB

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

20/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Léo Moura e Felipe são os principais reforços do Botafogo-PB para 2020
  • Ídolos do Fla, os dois são bem populares entre os torcedores na Paraíba
  • Estado nordestino conta com muitos torcedores do Flamengo por lá
  • "Foi uma estratégia de marketing também", disse o presidente do Bota

O Botafogo-PB resolveu apostar em dois jogadores experientes - e de nome - para reforçar o elenco para a temporada 2020: o lateral direito Léo Moura, de 41 anos, e o goleiro Felipe, de 35, ambos ídolos do Flamengo. Coincidência? Nada disso.

Em entrevista ao UOL Esporte, o presidente do Botafogo-PB, Sérgio Meira, admite que o fato de os dois jogadores terem tido passagem de destaque pelo clube carioca também acabou ajudando na contratação, uma vez que a Paraíba conta com uma enorme torcida rubro-negra.

"Foi uma estratégia de marketing também. Trouxemos dois ídolos do Flamengo", disse o presidente, que também falou especificamente sobre a vinda do novo lateral. "Léo Moura já tinha pretensão de morar no Nordeste, e nós o convidamos para vir conhecer João Pessoa. E ele se apaixonou", brincou Sérgio Meira.

Mais sócios e mais público

Com Léo Moura e Felipe, jogadores populares na Paraíba, o Botafogo espera atrair ainda mais sócios para o clube e torcedores para os estádios. Isso, inclusive, já vem acontecendo.

Antes de Léo Moura ser confirmado como reforço, o Belo — como é conhecido o Botafogo da Paraíba — tinha menos de dois mil sócios. A expectativa é que, ainda essa semana, o clube alcance os quatro mil. "Dobrou. A gente quer chegar a 5 mil sócios em mais uns 30 dias", diz.

Ainda invicto na temporada com cinco vitórias e três empates, já classificado para a segunda fase da Copa do Brasil e terceiro colocado de seu grupo na Copa do Nordeste (mas empatado em pontos com o primeiro Fortaleza e segundo Bahia — que tem um jogo a mais), o Botafogo teve seu maior público em 2020 no jogo de estreia de Léo Moura — e único disputado pelo jogador no Almeidão; 5.449 pessoas assistiram à vitória por 2 a 1 sobre o Náutico, pela Copa do Nordeste.

Para se ter uma ideia, a estreia do Botafogo-PB como mandante na Copa do Nordeste, em jogo contra o Confiança e ainda sem Léo Moura, contou com um público de 3.366 pessoas.

Salários em dia e clube estruturado

Se hoje o Botafogo-PB consegue atrair jogadores como Léo Moura e Felipe, muito se deve à reorganização feita pelo clube há cerca de dez anos. Hoje, os salários estão em dia já há algum tempo, e o Belo conta com um dos centros de treinamentos mais desenvolvidos do Nordeste.

"É um trabalho que tem sido feito nos últimos dez anos de um grupo que se reuniu e começou a organizar o clube administrativamente, financeiramente, especialmente em relação às dívidas trabalhistas - eram 52 ações perdidas que já estavam em fase de execução. Girava em torno de R$ 3 milhões, e tudo foi negociado em 50 meses. Só resta uma", disse o presidente.

"Foi saneado todo o clube e, a partir daí, começamos a fazer a organização do patrimônio. É um clube todo estruturado", acrescentou.

Com uma receita que gira em torno de R$ 8 milhões a R$ 9 milhões, o Botafogo-PB espera aumentar esse valor com pelo menos mais uma classificação na Copa do Brasil, para a terceira fase, o que renderia mais R$ 1,5 milhão na conta. "Também estamos contando com isso", acrescenta.

Na segunda fase da Copa do Brasil, o Botafogo-PB encara o vencedor de Fluminense e Moto Club-MA, que se enfrentam na próxima quarta-feira (26), no Castelão (MA).

Felipe ainda sem data para estrear

Nádya Araujo/ Ascom Botafogo-PB
Imagem: Nádya Araujo/ Ascom Botafogo-PB

Enquanto Léo Moura já acumula três jogos com a camisa do Botafogo-PB, Felipe ainda não tem data para estrear. Sem entrar em campo desde novembro do ano passado, o goleiro ainda precisará de um tempo para recuperar a condição física e técnica ideal.

"Vou tentar dar o meu melhor todo dia. E aí sim o treinador, a comissão técnica, os médicos vão estabelecer o prazo. Não vou estabelecer porque me conheço. Sei que gosto de trabalhar, gosto de treinar, então vou me dedicar ao máximo nestes dias aí que vou dar continuidade ao trabalho. Vamos ver. Espero o mais rápido possível estar em campo ajudando meus companheiros", disse o goleiro na sua apresentação, realizada anteontem (18).

Futebol