PUBLICIDADE
Topo

Arnaldo: "Corinthians do Carille era mil vezes mais covarde que o do Nunes"

Mauro: "Há um ano, Gabigol, B. Henrique e Arrascaeta não eram unanimidades"

UOL Esporte

Do UOL, em São Paulo

18/02/2020 12h00

Classificação e Jogos

Na semana em que sofreu a eliminação da Copa Libertadores ainda na fase prévia diante do Guaraní, do Paraguai, o Corinthians empatou o clássico com o São Paulo no Morumbi e deixou boas impressões do quão pode evoluir na temporada 2020, com mais tempo para o técnico Tiago Nunes treinar o time, apesar da ausência na competição mais importante do continente.

Durante o segundo bloco do podcast Posse de Bola #20, Arnaldo Ribeiro e Mauro Cezar Pereira citam a culpa do treinador na queda do clube alvinegro na Libertadores e as perspectivas que o time mostra em uma temporada na qual não terá disputas internacionais, ficando apenas com a disputa do Campeonato Paulista, do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil.

"É óbvio que ele [Tiago Nunes] tem responsabilidade, é ele quem escala, ele faz as escolhas, mas a perspectiva é muito boa para o Corinthians desse time virar uma boa equipe em breve. Aí tem até, curiosamente, o lado até bom de não jogar a Libertadores, que é ele vai ter mais tempo, vai poder treinar melhor, técnico bom com tempo consegue geralmente fazer o time andar. Ele vai jogar o Paulista e só vai jogar agora o Brasileiro em maio, entanto ele vai ter aí um período bom. É óbvio que seria melhor estar na Libertadores, não conseguiu, paciência", analisa Mauro Cezar.

Arnaldo Ribeiro compara o comportamento do Corinthians de Tiago Nunes com o de Fábio Carille em seus últimos jogos na passagem pelo clube, incluindo um clássico com o mesmo São Paulo no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro de 2019.

"Não tem comparação, o Corinthians do Carille era mil vezes mais covarde do que o Corinthians do Tiago Nunes. O Fagner do Carille jamais passava do meio de campo no Morumbi. Ele nunca passou do meio de campo, ficava lá e ele quase decidiu o jogo duas vezes", afirma Arnaldo.

"O Carille escalava o Boselli para jogar como volante, o Tiago Nunes escalou três atacantes e mais o Luan, mais dois jogadores de meio de campo que criam, como o Cantillo, aliás, muito bom jogador o Cantillo, no estádio dá para ver, o cara sobra", completa.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol