PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2019


Ceará arranca empate, se salva do rebaixamento e frustra planos do Botafogo

Do UOL, no Rio de Janeiro

08/12/2019 17h57

Classificação e Jogos

O Ceará arrancou empate por 1 a 1 com o Botafogo hoje (8), no Nilton Santos, pela última rodada do Campeonato Brasileiro, e se garantiu na primeira divisão em 2020. O time dependia de apenas um empate para alcançar o objetivo e ainda foi beneficiado com a derrota do Cruzeiro para o Palmeiras, no Mineirão.

Por outro lado, o resultado foi péssimo para o Botafogo, que ainda lutava pela Sul-Americana. O Fluminense venceu o Corinthians, em São Paulo, e ficou com a última vaga. O Alvinegro ficou a três pontos do Tricolor, na 14ª posição.

Quem foi bem: João Paulo e Wescley

Pelo lado do Botafogo, João Paulo foi o mais regular. Teve grande atuação, mas cansou e pediu para sair, fazendo com que Alberto Valentim fosse vaiado. Já o Ceará mudou totalmente após a entrada de Wescley, que viu os visitantes empatarem.

Quem foi mal: Jean

O volante do Botafogo mostrou que realmente tem um problema com posicionamento. Teve que compensar com disposição por estar muito longe do adversário em algumas oportunidades.

Botafogo entra cheio de garotos

Livre do rebaixamento, o Botafogo decidiu lançar os garotos em campo na vaga dos desfalques. O time iniciou a partida com seis jovens formados nas categorias de base. O numero aumentou com a entrada de Lucas Campos na vaga de Marcos Vinícius ainda no primeiro tempo. Isso já faz parte do planejamento do Alvinegro para a próxima temporada, quando tentará dar mais oportunidades a jogadores jovens e menos medalhões.

Ceará inicia jogo melhor

O início de jogo não foi nada animador para o Botafogo, que viu o Ceará com bastante vontade em campo. Isso fez com que os visitantes tivessem uma forte marcação o que rendeu boas oportunidades. Os cearenses quase abriram o placar em jogada de bola parada, mas pecou na finalização.

Botafogo faz blitz e quase abre placar

O Botafogo demorou para entrar no jogo. Até por se tratar de uma equipe com muitos jovens, foi necessário um pouco de tempo para conseguir tranquilidade. Assim que isso ocorreu, o time passou a dominar. Um dos poucos experientes, João Paulo quase abriu o placar em chute da entrada da área.

Marcus Vinicius abre placar e sente a coxa

O gol parecia questão de tempo e foi o que ocorreu. Melhor, o Botafogo balançou as redes em grande jogada de Luis Henrique. O garoto abusou da velocidade pelas pontas e cruzou na medida para Marcos Vinícius se antecipar a Diogo Silva e marcar: 1 a 0. Porém, ao se esticar, o apoiador sentiu a coxa e teve que ser substituído.

Galhardo quase empata

Após abrir o placar, o Botafogo recuou para apostar nos contra-ataques. Tal atitude, porém, chamou o Ceará para o campo de ataque. A tática quase deu errada e os visitantes quase empataram. Thiago Galhardo cabeceou firme e exigiu grande defesa de Diego Cavalieri.

Ceará empata com pênalti polêmico

O Ceará voltou diferente para o segundo tempo e buscou ainda mais o ataque. O time apostava nas jogadas pelas pontas e foi assim que Galhardo fez cruzamento e a bola bateu no braço de Marcinho, com o braço recolhido. O VAR foi chamado e o pênalti marcado. Sandro Meira Ricci, na Globo, discordou da decisão. O próprio camisa 8 cobrou e deixou tudo igual: 1 a 1.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 1 X 1 CEARÁ

Data e hora: 08/12/2019, às 16h (horário de Brasília)
Local: Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Marcelo Van Gasse e Miguel Caetano Ribeiro da Costa (Sp)
VAR: Marcio Henrique de Goes (SP)
Gols: Marcos Vinicius, aos 38min do primeiro tempo; Thiago Galhardo, aos 20min do segundo tempo
Cartões amarelo: Eduardo Brock e Willian Oliveira (CEA)

BOTAFOGO: Diego Cavalieri, Marcinho, Marcelo, Gabriel e Lucas Barros (Yuri); Jean, João Paulo (Wenderson) e Marcos Vinícius (Lucas Campos); Luiz Henrique, Rhuan e Vinicius Tanque. Técnico: Alberto Valentim

CEARÁ: Diogo Silva; Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e Eduardo Brock (Cristovam); Willian Oliveira (Pedro Ken), Ricardinho, Auremir (Wescley) e Felipe Baixola; Leandro Carvalho e Thiago Galhardo. Técnico: Argel Fucks