PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Dudu elogia ideia de jogo de interino: "nos passou tudo em 15 minutos"

Dudu comemora gol do Palmeiras contra o Goiás - RICARDO MOREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Dudu comemora gol do Palmeiras contra o Goiás Imagem: RICARDO MOREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

05/12/2019 22h20

O Palmeiras venceu o Goiás por 5 a 1 na noite desta quinta-feira e deixou o torcedor esperançoso para 2020 após a excelente atuação de Gabriel Veron, que fez dois gols e deu uma assistência. Em entrevista após o triunfo, Dudu, que também marcou duas vezes, elogiou bastante a atuação de Andrey Lopes, o interino que comandou a equipe no Brinco de Ouro da Princesa.

Durante a semana, ele não pôde trabalhar com todo o elenco por diferentes motivos e, na quarta-feira, teve o único treino que foi feito especificamente pensando no Goiás. Por conta do desgaste de final de temporada, a atividade precisou ser reduzida.

"Tenho que dar os parabéns para ele (Veron), mas também para o Andrey. Ele nos ajudou muito. Deu 15 minutos de treinamento e nos passou tudo. Conseguimos fazer o que ele queria. Ficamos felizes pelo jogo de hoje e pelo resultado. Também quero dar os parabéns para o Edu Dracena, que nos ajudou muito no futebol", afirmou o camisa 7.

Em uma coletiva de imprensa bastante breve, Andrey falou que montou a ideia de jogo, sem um camisa 9 fixo no ataque, com base no que estudou do estilo de jogo do Goiás.

"Sou funcionário do clube há dois anos, estou com esse plantel nesse período. Conheço bem. Foi tranquilo e dei sequência ao trabalho. A proposta de jogo que tive foi em cima do Goiás e deu certo. Em um período inicial, o Goiás dominou a partida. Mas, depois, quando encaixou, a gente teve uma situação melhor", afirmou o comandante.

Dudu ainda lamentou o ano sem títulos e voltou a falar que os jogadores precisam chamar a responsabilidade pela ausência de troféus em 2019. Ele defendeu todos os treinadores demitidos, Alexandre Mattos e até o presidente Maurício Galiotte.

"O ano não foi como a gente queria, foi sem título e sabemos como é difícil. Esse ano não tivemos esse êxito. Esperamos que ano que vem a gente monte time forte, possa chegar jogadores que ajudem a conquistar o objetivo. Ano que vem vamos estar com time forte e o torcedor possa voltar a acreditar no time", iniciou.

"A gente sabe que no Brasil, infelizmente, é assim. Quando as coisas não vão bem caem na conta do treinador. Também temos que assumir as responsabilidades, não é culpa do treinador, do Mattos, muito menos do presidente. Eles fizeram de tudo para ajudar o Palmeiras, mas a gente não conquistou. Muita culpa é mais dos jogadores, então a gente tem que ver o que erramos", finalizou.

Palmeiras