Topo

Futebol


Time catarinense se engaja e vira pioneiro no combate ao aquecimento global

Estádio Domingos Gonzalez, do Tubarão, em breve vai receber iniciativas de sustentabilidade - Divulgação
Estádio Domingos Gonzalez, do Tubarão, em breve vai receber iniciativas de sustentabilidade
Imagem: Divulgação

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

12/09/2019 04h00

Resumo da notícia

  • O Clube Atlético Tubarão se tornou o 1º representante da América Latina no grupo Sports for Climate Action.
  • Esta é a iniciativa da ONU voltada para entidades esportivas engajadas na redução da emissão de gases de efeito estufa.
  • Times como Golden State Warriors e entidades como a Fifa e os Jogos Olímpicos fazem parte desta iniciativa.
  • Desde 2017, o clube catarinense se compromete no combate ao aquecimento global e apresentou um plano de ações para a ONU.
  • O Tubarão foi aceito pela entidade para participar do grupo e estará presente na primeira reunião, dia 18, na Suíça.

O tema sobre as mudanças climáticas do planeta chegou ao futebol brasileiro. O Clube Atlético Tubarão, de Santa Catarina e membro da Série D do Campeonato Brasileiro em 2020, se tornou o primeiro representante da América Latina no grupo Sports for Climate Action, iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) voltada para entidades esportivas engajadas na redução da emissão de gases de efeito estufa e no combate ao aquecimento global.

Desde o mês passado inserido no grupo da ONU, o clube da pequena cidade de cerca de 100 mil habitantes recebe a companhia de grandes entidades como a Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados), os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 e Paris-2024, a NBA e a WSL (World Surf League). Times expressivos nos Estados Unidos, como Golden State Warriors, New York Yankees e LA Galaxy, também fazem parte da iniciativa.

O Tubarão enviou a ONU e teve aprovado um projeto com as ações de sustentabilidade para médio prazo, como palestras para a comunidade, workshops e medias práticas para amenizar gases de efeito estufa lançados pelo clube. Estão no projeto a troca por combustível menos poluentes nos ônibus da equipe e uma possível instalação de placas de energia solar no estádio Domingos Silveira Gonzales, por exemplo.

"É motivo de orgulho ter este reconhecimento e a autorização da ONU para usar a sua marca. Somos um clube pequeno, de Série D, e de uma cidade pequena no Brasil e é bom saber que podemos ajudar o ecossistema de um modo geral com ideias inovadoras", afirmou Luiz Henrique Martins Ribeiro, presidente do Tubarão, ao UOL Esporte.

O programa da ONU de relação entre esporte e a defesa do meio ambiente se encontra em fase inicial. O Tubarão foi convidado para a primeira reunião da iniciativa, marcada para 18 de setembro, no Museu do COI (Comitê Olímpico Internacional), localizado em Lausanne, na Suíça.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Embora projete ações futuras, o Tubarão se compromete com um comportamento sustentável desde 2017. A ideia da direção é compensar em 100% as próprias emissões de gases no ano que vem. Para assegurar o cumprimento da meta, o clube realizou um estudo completo, como explicou Paulo Zanardi Jr., CEO do Baltoro Group, que faz a gestão do Tubarão.

"Fizemos o inventário do ano todo, com todas as emissões do clube, desde o transporte, ao gás de cozinha no refeitório, o ar condicionado das instalações e reposição de extintores. Tudo está no inventário. Entramos nesta iniciativa da ONU com diversas instituições que se colocaram à disposição e querem lutar contra o aquecimento global", exaltou.

Para criar a expertise ideal para trabalhar neste ambiente sustentável e atender as promessas feitas a ONU, Zanardi Jr. contou que o clube vai receber um membro da equipe de Al Gore, vice-presidente dos Estados Unidos na gestão Bill Clinton e hoje um dos ativistas mais conhecidos no mundo neste embate contra o aquecimento global.

"Vamos aportar recursos para reduzir as emissões que faltam ainda. Queremos ser um clube carbono neutro. Fizemos isso na Copa SC de 2017, agora queremos transportar isso para toda a próxima temporada. Teremos treinamentos e operação no dia a dia e nos jogos. A partir da educação do nosso público, tanto interno quanto da comunidade, vamos conseguir isso", reafirmou.

"As ações contarão com pessoas que basicamente se relacionam com o clube, tanto torcedores, quanto sócios e até atletas profissionais e de base. As pessoas não têm noção de que ações simples podem impactar diretamente. Queremos estas ações para todo o clube e toda uma comunidade, assim, contagiando outros", complementou Luiz Henrique Martins Ribeiro, que deve representar o Tubarão na reunião em Lausanne.

Mais Futebol