Topo

Diego Alves diz que Flamengo sabia de risco por lesões em mudança com Jesus

Diego Alves pegou uma pênalti na disputa contra o Emelec, que valia vaga nas quartas de final da Libertadores - Thiago Ribeiro/AGIF
Diego Alves pegou uma pênalti na disputa contra o Emelec, que valia vaga nas quartas de final da Libertadores Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

01/08/2019 18h05

Nas últimas semanas, o Flamengo sofreu com diversos desfalques, sendo alguns deles por conta de lesões musculares, como nos casos do meia Arascaeta, o zagueiro Rodrigo Caio e o atacante Lincoln. Herói na classificação do time rubro-negro às quartas de final da Libertadores, o goleiro Diego Alves admitiu, hoje (1), que, com as mudanças no trabalho da comissão técnica desde a chagada de Jorge Jesus, o risco de lesões era sabido.

Vale lembrar ainda que, ontem (31), Gabigol, autor dos dois gols no triunfo por 2 a 0 no tempo regulamentar contra o Emelec, do Equador, no Maracanã, foi substituído depois de acusar um incômodo muscular na coxa esquerda.

Diego Alves, por outro lado, elogiou o trabalho do departamento médico, que conseguiu recuperar Arrascaeta e Everton Ribeiro (estava com uma lesão óssea no pé esquerdo) a tempo do duelo de ontem. O Flamengo ganhou por 2 a 0 e avançou na competição depois de bater o adversário por 4 a 2 na disputa de pênaltis.

"Sobre as lesões, lógico que nunca nos preparamos para ter jogadores lesionados. Aconteceu com o Vitinho, um pouco grave, a do Diego, mais grave de todas e que mexeu bastante com a gente. Mas a gente sabia desse risco por mudar a forma de treinamento, a característica do time. Quando você trabalha em alto nível, algumas lesões podem acontecer. Departamento médico foi muito bem em recuperação de lesões, como a do Arrascaeta, trabalho foi muito bem feito", disse, em entrevista à ESPN.

Jesus começou o trabalho junto ao elenco no fim de junho, durante a paralisação do calendário brasileiro por conta da disputa da Copa América. Neste período, houve treinos em tempo integral e com muitos exercícios novos, algo comentado pelos jogadores.

No caso de Diego, a torção no tornozelo esquerdo foi devido a um forte choque durante o primeiro confronto com o Emelec, no Equador. A tendência é que o tempo de recuperação seja de, pelo menos, quatro meses. Já Vitinho, teve um entorse no joelho esquerdo, no jogo contra o Corinthians, pelo Brasileiro, e também passou por um processo cirúrgico. Rodrigo Caio recupera-se de dores na coxa esquerda e Lincoln de dores na coxa direita.

Flamengo