Topo

Inter volta a vencer o Nacional, vai às quartas e encara o Flamengo

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

31/07/2019 21h08Atualizada em 01/08/2019 09h06

O Internacional voltou a vencer o Nacional. Na noite de hoje (31), no Beira-Rio, o placar de 2 a 0, gols de Rodrigo Moledo e Paolo Guerrero, em jogo de volta das oitavas de final, significou avanço às quartas da Libertadores.

Assista aos melhores momentos de Internacional 2 x 0 Nacional

O Colorado já havia batido o rival no jogo de ida, por 1 a 0. E ainda que estivesse em vantagem, tratou de resolver a classificação.

O Inter enfrentará o Flamengo, que bateu o Emelec nos pênaltis, nas quartas de final. Os jogos estão previamente marcados para os dias 21 e 28 de agosto. O Colorado decidirá em casa.

Foi bem: Moledo nas duas áreas

Rodrigo Moledo foi destaque individual do Inter. Autor do primeiro gol do jogo, o zagueiro que completou 150 partidas pelo Colorado na noite de hoje ainda foi seguro atrás e manteve boa postura quando exigido.

Foi mal: Bergessio pouco aparece no jogo

Expoente técnico do Nacional, o centroavante Bergessio esteve preso entre Moledo e Cuesta e pouco conseguiu fazer na partida.

D'Alessandro chega a 106 assistências pelo Inter

Com 11 anos de clube completos ontem, D'Alessandro foi aplaudido desde o primeiro minuto de jogo. Até mesmo quando errou alguns lances, o gringo recebeu apoio dos torcedores presentes na partida. Em campo, distribuiu bons passes e cobrou o escanteio para o gol de Moledo, chegando a 106 assistências pelo time vermelho.

Nico marca duas vezes, mas nenhuma delas vale

Nico López não está numa maré de sorte. O uruguaio não faz um gol há mais de 1.400 minutos (um dia inteiro, contando em horas). E no jogo de hoje marcou dois. Porém, em ambos estava impedido e o árbitro anulou corretamente os lances. No segundo tempo, foi substituído por Rafael Sobis e teve o nome gritado pelos torcedores presentes, que reconheceram a boa participação em campo.

Desempenho do Inter: Colorado domina desde o início

Mesmo em vantagem, o Inter não quis saber de se defender. Como costuma fazer jogando no Beira-Rio, foi para cima e assumiu controle do jogo. Criou três chances, duas delas com Nico López, até o gol de Rodrigo Moledo, que ocorreu antes dos 20 minutos de jogo. E mesmo tendo vencido no duelo de ida, e vencendo o de volta, seguiu povoando o campo adversário, controlando as ações rivais e sendo ameaçado apenas quando cometia erros individuais. Mas, na etapa final, o Nacional adiantou suas linhas e cresceu. O Colorado passou, então, a explorar o contra-ataque. E no fim da partida fez o segundo com Guerrero.

Desempenho do Nacional: Nacional demora a se encontrar no jogo

O Nacional demorou para se encontrar no jogo. O domínio do Inter fez com que o time visitante, nos primeiros minutos, apenas corresse atrás da bola. Com o passar do tempo, porém, espaços apareceram e algumas chances também. Bergessio foi sempre perigoso, bem abastecido por Lorenzetti, que atuou centralizado. No segundo tempo, o Nacional adiantou as linhas e passou a frequentar a área do Inter. Com cruzamentos e rebotes, fez Marcelo Lomba trabalhar bem mais do que nos primeiros 45 minutos de jogo. No entanto, deu espaço para o contra-ataque do Inter.

Maior público do Beira-Rio pós-reforma

Com 48.530 presentes, o Beira-Rio conheceu seu novo recorde de público após a reforma para a Copa do Mundo de 2014. A marca anterior havia ocorrido contra o River Plate, pela fase de grupos da Libertadores, com 47.012 torcedores.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2 X 0 NACIONAL
Data
: 31/07/2019 (quarta-feira)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Fernando Rapallini
Auxiliares: Juan Belatti e Maximiliano Del Yesso
Árbitro de vídeo: German Delfino
Renda: R$ 3.085.090,00
Público: 48.530 (total)
Cartões amarelos: Bruno (INT); Corujo (NAC), Gabriel Neves (NAC).
Gols: Rodrigo Moledo, do Inter, aos 16 minutos do primeiro tempo; Paolo Guerrero, do Inter, aos 48 minutos do segundo tempo;

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso (Nonato), Edenílson, Patrick, D'Alessandro (Wellington Silva) e Nico López (Rafael Sobis); Paolo Guerrero.
Técnico: Odair Hellmann

Nacional
Mejía; Cotugno, Corujo, Felipe Carvalho e Viña; García, Gabriel Neves, Zunino (Bruno Fernández), Kevin Ramírez (Castro) e Lorenzetti (Barrientos); Bergessio.
Técnico: Álvaro Gutiérrez