Topo

Seleção Brasileira


Após dizer não à CBF, Romário também descarta ir à reunião de time do tetra

Romário descartou comparecer às duas festas dos 25 anos do tetracampeonato mundial da seleção - Romário (Foto: Audrey Assed /AgNews
Romário descartou comparecer às duas festas dos 25 anos do tetracampeonato mundial da seleção Imagem: Romário (Foto: Audrey Assed /AgNews

Diego Salgado, Gabriel Carneiro e Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

17/07/2019 14h31

Romário descartou comparecer à festa organizada pelos jogadores da seleção brasileira de 1994. O grupo comemora hoje (17) os 25 anos da conquista do tetracampeonato mundial nos Estados Unidos. A informação foi confirmada ao UOL Esporte pela assessoria do ex-atleta.

O senador (Podemos-RJ) também disse não à festa da CBF ocorrida no último sábado (13), na Granja Comary, em Teresópolis. O camisa 11 do tetra é um crítico da entidade máxima do futebol brasileiro e quis evitar o contato.

Carlos Alberto Parreira em festa da CBF pelo tetra no fim de semana - Bruno Braz/UOL
Carlos Alberto Parreira em festa da CBF pelo tetra no fim de semana
Imagem: Bruno Braz/UOL

Mais três atletas da seleção de 1994 também não compareceram à reunião da CBF: Ronaldo, que está na Espanha, Raí, hoje diretor do São Paulo, e Leonardo, que tem compromissos com o PSG. A decisão de Romário não ir à festa dos atletas foi vista como algo normal pelos ex-companheiros, uma vez que o ex-atacante tem agenda a cumprir como senador. A confraternização vai acontecer às 20h de hoje, em um hotel de Ipanema, no Rio de Janeiro.

O evento terá até título: "Amigos Para Sempre". Trata-se da tradução do nome de uma música que foi composta para os Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, e executada na cerimônia de encerramento da competição, por Sarah Brightman e Josep Carreras.

"Aquela música marcou a gente, porque somos amigos e é o que queremos levar. Eu considero todos como meus amigos. E digo mais, foi muito gratificante. Velho, é muito difícil ganhar uma Copa do Mundo. Estava na CBF no sábado relembrando e, porra, como é difícil. E se a gente não ganhar a próxima, no Qatar, vai ficar igual a nossa seleção quando fomos para os Estados Unidos, 24 anos sem ganhar. Em 1994 a gente tinha essa meta de dar um presente ao povo brasileiro depois da morte do Senna, então por isso será uma confraternização com esse título: amigos para sempre", conta Ricardo Rocha, presente na delegação tetracampeã.

Ricardo Rocha, inclusive, foi um dos que tentou convencer Romário a ir pelo menos no evento de hoje: "Ele está no coração da gente, sabe o quanto foi importante. Mas tem que ver o lado dele, tem que respeitar. Ele é meu amigo independente de qualquer coisa."

Seleção Brasileira