PUBLICIDADE
Topo

Argentina culpa arbitragem e vê trabalho positivo em meio a seca de título

Diego Salgado, José Edgar de Matos e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

07/07/2019 12h00

Classificação e Jogos

A Argentina terminou a Copa América em alta depois de uma vitória por 2 a 1 sobre o Chile ontem (6), na Arena Corinthians. A conquista do terceiro lugar da competição contribuiu para a avaliação positiva da delegação, que também culpou a arbitragem por não ter ido mais longe no torneio que poderia representar o fim de um jejum de 26 anos sem títulos.

O começo cambaleante da Argentina na Copa América, com risco de eliminação precoce, deu lugar às broncas nos árbitros e no VAR a partir do duelo com o Brasil, já na semifinal do torneio. A atuação do equatoriano Roddy Zambrano recebeu uma enxurrada de críticas por causa de dois supostos pênaltis não marcados - até mesmo Messi foi a público para reclamar.

A insatisfação aumentou com a expulsão do camisa 10 ainda no primeiro tempo do duelo com o Chile, após um desentendimento com o zagueiro Medel. O árbitro paraguaio Mario Díaz de Vivar expulsou os dois atletas e, em seguida, deixou de revisar o lance no VAR.

A bronca argentina foi tamanha que Messi, revoltado, boicotou a premiação. Na zona mista da Arena Corinthians, o jogador desabafou, falou em corrupção e disparou que a Copa América está "armada para o Brasil".

O técnico Lionel Scaloni também não aliviou nas declarações após o jogo. Ele fez duras críticas aos critérios do VAR e voltou a afirmar que o "jogo deixou as coisas estranhas".

Apesar de toda a bronca, o treinador ressaltou os méritos da seleção argentina em se recuperar durante a Copa América. Segundo ele, o trabalho da equipe é promissor.

"Todos estão contentes pelo resultado. Acreditamos que há algo em que confiar, não temos duvido. Há coisas positivas, vejo coisas boas. Estamos atrás de um bom trabalho desde os primeiros dias e creio que haverá continuidade. O mais importante no fim é o grupo que pode conquistar coisas boas no futuro", disse o treinador, que tem contrato até dezembro deste ano.

Ascensão durante a competição

A Argentina estreou na Copa América com derrota por 2 a 0 para a Colômbia. Em seguida, a seleção empatou por 1 a 1 com o Paraguai. Na última rodada, com uma pequena chance de ser eliminada, a equipe derrotou o Qatar por 2 a 0. Nas quartas, os argentinos eliminaram a Venezuela após um triunfo por 2 a 0. Na semifinal, perderam para o Brasil por 2 a 0.

"Estávamos convencidos que se passássemos para a segunda fase seríamos uma seleção difícil de ser superada. A melhor Argentina se viu na segunda fase. À medida que o tempo passou sabíamos que teria crescimento", afirmou Scaloni.

"Sabemos que a Argentina sempre chega às finais. Éramos um candidato. Fizemos um bom papel. Depois de perder para a Colômbia, seguimos acreditando nisso. A partida contra o Paraguai as coisas se complicaram, mas tomamos uma atitude para seguir na Copa", disse o treinador.

Esporte