PUBLICIDADE
Topo

Refugiados ganham entradas para jogo da Venezuela no Mineirão: "impagável"

Refugiados venezuelanos assistem à seleção de seu país no Mineirão - Agência i7/Mineirão
Refugiados venezuelanos assistem à seleção de seu país no Mineirão Imagem: Agência i7/Mineirão

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

22/06/2019 16h40

Classificação e Jogos

Eles deixaram a Venezuela, em crise política e econômica, para tentar uma vida melhor no Brasil. Depois de passarem meses na fronteira entre os países, chegaram a Belo Horizonte. Na capital mineira, já guardam a recordação de um dia inesquecível.

A Minas Arena, gestora do Mineirão, convidou 20 refugiados da Casa do Migrante, projeto da arquidiocese de BH em parceria com a Providens, para assistir à partida entre Bolívia e Venezuela no estádio. Ao lado de três funcionários da casa de apoio, o grupo pôde acompanhar o duelo válido pela terceira rodada da Copa América.

Edmundo Cabas deixou a Venezuela e está há nove meses no Brasil - UOL Esporte - UOL Esporte
Edmundo Cabas deixou a Venezuela e está há nove meses no Brasil
Imagem: UOL Esporte

Edmundo Cabas, de 43 anos, foi um dos venezuelanos agraciados com as entradas concedidas pelo Mineirão. No Brasil há nove meses, ele era um dos mais empolgados com a chance de ver a sua seleção em campo.

"Gostou muito, muito, bastante de futebol. No meu país, não tive a possibilidade de assistir a um jogo da seleção, este é o primeiro", disse ao UOL Esporte.

"Aqui no Brasil é a terceira vez que venho [ao Mineirão]. Eu vim assistir aos jogos Cruzeiro e Deportivo Lara e também Zamora e Atlético Mineiro. Agora estou aqui na Copa América", acrescentou.

Em Belo Horizonte desde fevereiro deste ano, quando a Casa do Migrante recebeu o primeiro grupo de refugiados venezuelanos, Edmundo até muda a fisionomia ao falar da hospitalidade do povo brasileiro.

"Não há como pagar o carinho que o povo brasileiro tem por nós, tudo o que tem feito por nós. Eles têm nos ajudado a trabalhar. Eu sou do primeiro grupo da casa, e o primeiro grupo está todo trabalhando. Eu tive um pequeno problema de saúde e tive que voltar à casa, mas todos costumam nos ajudar bastante", comentou.

Apesar do amor pelo Brasil, Edmundo não esconde que o seu desejo é voltar à Venezuela. Ele espera que a crise política e econômica do país seja rapidamente solucionada.

"A questão na Venezuela está bastante ruim. Para você viver bem, precisa migrar a outro país com mais oportunidades de emprego. Depois, vou tentar trazer a minha família para cá. Mas quero um dia poder voltar à Venezuela, porque você só é feliz em seu país. Você é brasileiro e pode até ser feliz na Espanha, mas depois falta um pouco da sua cultura", concluiu.

Futebol