Topo

Esporte


Técnico da Venezuela detona organização de Copa: "não corresponde a Brasil"

Rafael Dudamel, técnico da seleção da Venezuela - Gabriel Carneiro/UOL
Rafael Dudamel, técnico da seleção da Venezuela Imagem: Gabriel Carneiro/UOL

Danilo Lavieri, Gabriel Carneiro, Marcel Rizzo e Pedro Lopes

Do UOL, em Salvador

19/06/2019 00h01

Depois de conquistar o empate em 0 a 0 diante da seleção brasileira pela Copa América, hoje, na Fonte Nova, o treinador da Venezuela, Rafael Dudamel, não poupou críticas à organização da competição no Brasil. Incomodado, Dudamel reclamou da estrutura, gramado e logística.

"Quando me falam da Copa América ou da Copa do Mundo no Brasil, a gente imagina encontrar o melhor de tudo. Assim como tem o melhor futebol, a gente imagina encontrar os melhores cenários para poder desfrutar da Copa América no Brasil. Ficamos surpreendidos. Não só com o estádio, mas a logística quanto a hoteis e tudo mais, não correspondem a uma Copa América, e muito menos ao Brasil", afirmou.

Dudamel não quis usar as críticas como desculpa, exaltando o resultado conquistado diante dos comandados de Tite.

"É uma crítica construtiva que eu faço. De esforço e trabalho, a gente conseguiu um resultado histórico. Não pode ser falado como desculpa, mas é um chamado de atenção, estamos surpresos".

O técnico venezuelano também foi questionado sobre a influência do VAR no confronto - o Brasil teve dois gols anulados com utilização do sistema. Bem humorado, celebrou, e elogiou a imparcialidade da arbitragem diante de uma seleção mais tradicional.

"Que viva o VAR! Bem vindo, VAR. Veja, contra Peru e Brasil, a gente se viu, digamos,de uma maneira, beneficiados, mas essa palavra parece que estão nos dando de presente. A gente também sofreu. No Mundial sub-20, contra o Uruguai, deram um penalti pelo VAR. A gente já viveu as duas experiências. Ao final, se eu digo VAR ou sem VAR, não vai mudar nada. Mas temos que seguir e que o VAR traga justiça. Me encantou a autoridade que tem o árbitro independentemente da cor da camiseta para usar com imparcialidade o VAR".

Mais Esporte