PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Vice do Atlético-MG dispara contra a atuação do VAR: "Requer transparência"

Árbitro Rafael Traci consulta imagem de jogo entre Boa Esporte e Atlético-MG - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Árbitro Rafael Traci consulta imagem de jogo entre Boa Esporte e Atlético-MG Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

30/03/2019 20h40

Lásaro Cândido Cunha, vice-presidente do Atlético-MG, se manifestou sobre o árbitro de vídeo, criticado por Luan, após o empate em 0 a 0 com o Boa Esporte, na noite de hoje, no estádio do Melão, pela ida da semifinal do Campeonato Mineiro.

O dirigente fez críticas a Heber Roberto Lopes, responsável pelo VAR no jogo desta noite, e também disparou contra Giuliano Bozzano, presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Mineira de Futebol (FMF). Ele ainda pediu transparência à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para utilização da tecnologia.

"Nós queremos também falar sobre o VAR. Quando foi implantado o VAR, o Atlético fez a seguinte ponderação: "se a gente não tiver critérios de protocolo e transparência do VAR, vamos transformar isso em um perigo para uma arbitragem que o árbitro de vídeo fica escondido". Nós pedimos transparência. Na reunião que fizemos do conselho técnico, aprovamos o VAR desde que os custos fossem a maior parte para a CBF. Requer transparência, a gente quer áudios e vídeos da cabine com o árbitro central. O lance do gol que o árbitro acusou impedimento é muito difícil", declarou.

"O senhor Heber Roberto Lopes deu a informação de que teia havido impedimento? Porque se ele deu essa informação é preocupante e ele deveria ser punido. Se ele tem dúvida, deveria chamar o árbitro central e não fez. Por ironia, em outro lance, o árbitro foi chamado para verificar o lance. Ou nós criamos no Brasil o VAR com protocolos e transparências ou vamos criar a rede de dúvidas com o que pode ocorrer", acrescentou.

"Por fim, o presidente da comissão de arbitragem da CBF, as escolhas foram ele que encaminhou, porque ele comanda. A Federação Mineira tem que rever, inclusive o senhor Bozzano está mostrando que não tem condições de comandar a arbitragem. Essa é a fala do Atlético", concluiu.

Atlético-MG