Topo

Como emprestados podem render até R$ 25 milhões ao Santos em meio a crise

David Braz, zagueiro do Sivasspor, pode ajudar finanças do Santos mesmo distante da Vila Belmiro - Divulgação
David Braz, zagueiro do Sivasspor, pode ajudar finanças do Santos mesmo distante da Vila Belmiro Imagem: Divulgação

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

25/03/2019 04h00

A crise financeira pela qual o Santos passa pode receber uma grande e inesperada ajuda no meio deste ano. Os quatro atletas emprestados pelo Peixe ao exterior após serem encostados na Vila Belmiro estão em alta em seus clubes e ao menos dois deles já demonstraram interesse em ficar com os jogadores em definitivo.

São eles os zagueiros Fabián Noguera e David Braz, o lateral-esquerdo Caju e o meia Vecchio. Com exceção do defensor argentino, os outros três atletas tem preço de compra fixado ao final do empréstimo em um total de 5,5 milhões de euros, quase R$ 25 milhões.

Quem mais demonstrou interesse até o momento, como publicou a "Gazeta Esportiva" foi o Sivasspor, da Turquia, onde David Braz é titular absoluto e soma 23 jogos e dois gols na temporada. Para ficar com o jogador, os turcos teriam que pagar 2 milhões de euros ao Peixe.

Outro que vem convencendo é o lateral-esquerdo Caju. Foram 28 jogos com a camisa do APOEL, do Chipre, e três gols marcados. O clube teria de desembolsar 1,5 milhões de euros para ter o jogador de 23 anos em definitivo, mas o clube não sabe se terá condições financeiras para exercer o direito.

O argentino Emiliano Vecchio também vem sendo importante na temporada do Al-Ahli, campeão de uma das copas dos Emirados Árabes e na final de outra. Foram 25 jogos disputados e oito gols marcados pelo meia. Se quiser ficar com o jogador, o Al-Ahli terá de desembolsar 2 milhões de euros.

Ao contrário dos demais, Fabián Noguera foi emprestado no início deste ano ao Gimnàstic, da segunda divisão da Espanha, e sem preço de compra fixado. O argentino vem jogando regularmente e já foi titular em seis partidas, mas dificilmente permanecerá já que o clube está na zona do rebaixamento para a terceira divisão da Espanha.

Com fluxo de caixa prejudicado, o Peixe aguarda ansiosamente pelo meio do ano para receber a segunda parcela da venda do atacante Rodrygo ao Real Madrid, mas pode acabar ganhando "de brinde" alguns milhões extras com a venda dos atletas emprestados.

Siga o UOL Esporte no