PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Apresentado pelo Grêmio, Júlio César não vê pressão para substituir Grohe

Goleiro Júlio César apresentado pelo Grêmio, onde aturará por dois anos - Marinho Saldanha/UOL
Goleiro Júlio César apresentado pelo Grêmio, onde aturará por dois anos Imagem: Marinho Saldanha/UOL

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

04/01/2019 17h22

Júlio César foi apresentado pelo Grêmio na tarde desta sexta-feira (04). Com 32 anos, o goleiro diz que não vê peso para substituir Marcelo Grohe, vendido ao Al-Ittihad, da Arábia Saudita. 

"Quero parabenizar o Marcelo pela linda passagem. Vários anos com títulos e uma história construída. Não vejo peso pela história dele. Quero construir a minha. Se torna um espelho por tudo que fez e espero construir a minha história com trabalho e dedicação. Acredito muito que tem tudo para dar certo nestes dois anos com os objetivos do clube", disse. 

Na chegada, ele já projetou a disputa por posição com Paulo Victor. Além deles, Brenno e Phelipe Megiolaro disputam o primeiro nome na escalação azul, branca e preta. 

"É uma honra vestir a camisa do Grêmio. Um clube que briga em cima, tradicional. Não tive dificuldade alguma, foi minha primeira escolha. Os últimos anos falam por si. Venho com vontade, sede de me juntar ao grupo, à comissão, com ambição como o Grêmio. Quero ajudar para conquistar títulos com o Grêmio", disse. "Já conhecia o Paulo (Victor) de jogar contra. Temos muitos amigos no futebol, as referências são as melhores, é profissional, trabalhador, que busca espaço, como eu. A briga pela titularidade é normal. Todo jogador que chega ao Grêmio quer ser titular. E tem que mostrar no dia a dia", completou. 

Após uma temporada com 62 jogos pelo Fluminense, ele optou por aceitar o time gaúcho em uma negociação de "aproximadamente 12 horas", como detalhou. Além do clube em que atuava, uma equipe mexicana e o Athletico-PR queriam a chegada dele. 

"Quando eu tinha 19 ou 20 anos, eu não acreditava muito nisso. Mas com o passar dos anos, com as experiências que tive, eu concordo. Goleiro, quando chega entre 28 e 32 anos atinge uma experiência muito boa e maturidade. Chego ao Grêmio no melhor momento da minha carreira, onde poderei dar meu máximo para ajudar o Grêmio em tudo que irá brigar", finalizou. 

Futebol