PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atlético-MG precisa pagar R$ 2 milhões para manter volante que barrou Elias

Gustavo Blanco se tornou o novo xodó da torcida do Atlético-MG em 2018 - Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro
Gustavo Blanco se tornou o novo xodó da torcida do Atlético-MG em 2018 Imagem: Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

Marcus Alves, Thiago Fernandes e Victor Martins

Do UOL, em Lisboa e Belo Horizonte

25/04/2018 04h00

Gustavo Blanco, responsável por barrar Elias no Atlético-MG, quer permanecer em Belo Horizonte ao término do empréstimo, em dezembro de 2018. E o clube cogita adquirir 70% de seus direitos econômicos pagando os R$ 2 milhões impostos pelo Bahia em acordo.

Estipulada em contrato, a multa foi definida pela antiga cúpula do time de Salvador. O negócio foi costurado conforme o valor da venda do zagueiro Tiago para os nordestinos. O defensor foi para a Fonte Nova pelo mesmo preço do volante de 23 anos. A relação entre as cúpulas fez com que ambas adotassem a reciprocidade.

De acordo com as minutas do empréstimo, o Galo tem até julho para informar ao Bahia o desejo de compra do meio-campista. O montante pode ser parcelado pela diretoria, conforme apuração do UOL Esporte.

A permanência de Gustavo Blanco na Cidade do Galo é vista com bons olhos por diretoria e comissão técnica. O clube, porém, ainda não informou aos baianos que pretende adquiri-lo ao término do empréstimo. Luciano Rêgo, empresário de Gustavo Blanco, evita falar sobre a multa e garante que ainda não foi procurado para falar sobre a manutenção de seu cliente.

"Ainda não fomos procurados pelo Atlético para tratar a renovação dele [Gustavo Blanco]. Está muito cedo, o clube tem até dezembro para acertar isso conosco", disse à reportagem, confirmando o interesse de seu cliente em permanecer na Cidade do Galo:

"Com certeza ele quer ficar [no Atlético-MG]. Ele está bem, vive boa fase no clube e gostaria de permanecer sim. Está ambientado a Belo Horizonte. Não há motivos para deixar o clube agora", concluiu.

Procurada para falar sobre o caso, a diretoria do Bahia preferiu não se manifestar sobre o contrato de empréstimo de Gustavo Blanco. A postura da equipe se dá pelo fato de haver cláusulas que mantêm o acordo de forma confidencial.

Futebol