PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Modesto confirma interesse em trio e respeita "pijama training" de Levir

Presidente confirma interesse em Damián Díaz e Jonatan Álvez, do Barcelona-EQU - Ivan Storti/SantosFC
Presidente confirma interesse em Damián Díaz e Jonatan Álvez, do Barcelona-EQU Imagem: Ivan Storti/SantosFC

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

25/10/2017 20h48

O presidente Modesto Roma confirmou o interesse do Santos em três jogadores para a próxima temporada: os “carrascos” da eliminação santista na Copa Libertadores da América, o meia Damián Díaz e o atacante Jonatan Álves, como revelou o UOL Esporte com exclusividade no mês passado.  

“São dois grandes jogadores (Damián Díaz e Jonatan Álves) que realmente interessam”, afirmou Modesto Roma em evento de lançamento do filme “Pelé – o nascimento de uma lenda”.

Além da dupla que atua no Barcelona, do Equador, o presidente do Santos confirmou que o lateral esquerdo Romário, do Ceará, também está no “radar” do clube paulista para 2018. O planejamento inicial do clube para o próximo ano é contratar, no mínimo, quatro reforços: lateral, meia, atacante de beirada e centroavante.

“É um jogador que está no radar, que estamos observando. É um lateral-esquerdo que está no radar. É uma das posições que buscamos. Buscamos centroavante, meia e um atacante pela beirada. São quatro posições”, disse o dirigente.

Modesto Roma também falou da nova polêmica envolvendo o técnico Levir Culpi: o excesso de folgas para o elenco santista. Nesta semana, o treinador concedeu dois dias de folgas aos jogadores – segunda e terça-feira – e só voltou aos trabalhos nesta quarta-feira, no CT Rei Pelé.

O São Paulo, por exemplo, adversário no próximo sábado, no Pacaembu, em jogo válido pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, voltou aos treinos na última segunda-feira.

Modesto Roma se esquivou da pergunta se teria reprovado o planejamento do treinador. O dirigente, inclusive, utilizou o termo “pijama training” para explicar que, independente se gostou ou não, ele respeita a decisão de Levir Culpi.

“Eu posso gostar, não gostar, eu converso com Levir, discuto situações como sempre discutimos. Temos relação franca e aberta. Ele tem os motivos, sabe das necessidades do elenco, elenco vem de maratona forte, de três jogos por semana e precisa descansar. Esse momento se convencionou de pijama training. A gente tem que respeitar e entender os aspectos fisiológicos, de preparação física dos profissionais”, disse o dirigente.

“Eu acho que o professor Levir não vai dar opinião na pauta da imprensa. Mas a imprensa se vê no direito de formar opinião pública sobre o treinamento do Levir. Precisamos pensar na coisa de forma profissional. Temos que aprender a respeitar profissionais da área e não criar fatos”, concluiu.

Apesar de figurar na terceira colocação do Campeonato Brasileiro, com 53 pontos ganhos, a seis do líder do Corinthians, o Santos viveu dias turbulentos. Na última sexta-feira, o Santos demitiu Levir Culpi, mas voltou atrás após pedido do elenco santista. 

Futebol