PUBLICIDADE
Topo

Futebol

R. Oliveira diz que Brasil perdeu nos contra-ataques: "Fomos ineficientes"

Do UOL, em São Paulo

08/10/2015 22h35

Após a derrota do Brasil por 2 a 0 contra o Chile, nesta quinta-feira (8), em Santiago, o atacante Ricardo Oliveira creditou o mau resultado da estreia à ineficiência nos contragolpes.

“Poderiamos ter matado o time deles, mas não matamos o jogo no contra-ataque, levamos dois gols e saimos daqui com uma derrota. Infelizmente não fomos eficientes”, disse o atacante, que entrou aos 30 minutos do segundo tempo, no lugar de Hulk, quando Brasil perdia por 1 a 0.

"Entrei no jogo, tentei me movimentar em frente à área, já que a equipe estava com boa profundidade pelo lado do campo e cruzando bolas. Tentei ser a referência. Na primeira oportunidade cheguei um pouco tarde e depois tive duas finalizações no gol. Perdemos por 2 a 0, mas ficamos com um gosto amargo porque eles deram muito espaço e proporcionaram boas oportunidades. Saímos tristes, mas vamos tentar reverter em casa", acrescentou Ricardo Oliveira.

O volante Luiz Gustavo também falou sobre a atuação da seleção brasileira. E ele concorda com Ricardo Oliveira.

"Acho que a equipe estava jogando bem, estava tendo as chances. Estávamos bem na partida, tomamos gol de bola parada, que é erro nosso. A equipe deles foi melhor e conseguiu a vitória. É levantar a cabeça, sabíamos desde o começo que seria difícil, o importante é fazer com que seja mais ainda pros adversários. O importante é melhorar, que ainda tem dois anos pela frente", avaliou o volante.

"Detalhe"

Ao passar pela zona mista, o zagueiro Marquinhos, que substituiu David Luiz após o colega de equipe sentir lesão no joelho, explicou o lance do primeiro gol chileno, em que Vargas conseguiu passar à frente do marcador brasileiro e completar para o gol.

"Foi um detalhe do jogo. Acabou passando na minha frente, a bola veio baixa e eu não consegui antecipar para bloquear o chute. A gente teve algumas oportunidades também para o empate e uma possível virada, mas abrimos muito e, no segundo gol, o Chile definiu a partida", avaliou Marquinhos.

Já o lateral direito Dani Alves fez questão de destacar que a pressão por vitórias sempre irá existir na seleção brasileira e que o grupo vai saber reagir bem após a derrota.

"Com um pouquinho mais de acerto, poderíamos ter saído com o resultado melhor. Na seleção brasileira é sempre obrigação vencer, a gente vem sempre pra isso. Às vezes as coisas funcionam, às vezes não tanto. Temos que continuar acreditando no nosso trabalho, porque acredito que, apesar da dificuldade que supõe jogar as Eliminatórias, cada jogo é super decisivo e temos um grupo que vai amadurecer em função da continuidade e confiança que for dada aos jogadores e acredito que não vamos abalar em função de vitorias e derrotas. Para ter grupo forte é preciso ter continuidade", avaliou Dani.

Além de pedir continuidade para aumentar a confiança, o lateral da seleção e do Barcelona também ressaltou que será importante manter a calma para ir em busca de um resultado positivo contra a Venezuela, na próxima terça-feira, em Fortaleza.

"Sem duvida, acho que tudo que é feito a partir da tranquilidade, os resultados são melhores. Se você perder a calma em função dos resultados dificilmente vai encontrar o equilíbrio. Vamos consegui o equilíbrio em função da nossa melhoria e acredito que as vitórias vão chegar", concluiu o lateral. 

Futebol